Clique e assine com até 92% de desconto

Justiça de São Paulo decreta a falência da Avianca Brasil

Companhia aérea terá 60 dias para apresentar a relação dos seus ativos e não opera desde maio do ano passado

Por Da Redação Atualizado em 14 jul 2020, 22h25 - Publicado em 14 jul 2020, 22h21

A Justiça decretou nesta terça-feira, 14, a falência da companhia aérea Avianca Brasil. O pedido foi feito pela própria empresa, que tinha dívidas superiores a R$ 2,7 bilhões e não conseguia cumprir o plano de recuperação judicial. Agora, a empresa terá 60 dias para apresentar a relação dos seus ativos.

A companhia estava em recuperação judicial desde dezembro de 2018, e inoperante desde maio de 2019. A decisão foi tomada pelo juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. Para ele, o plano de recuperação judicial da Avianca tornou-se inexequível considerando a inatividade da empresa.

Em novembro de 2019, a administradora judicial Alvarez & Masal, responsável pelo acompanhamento da recuperação judicial da empresa, também recomendou a falência da companhia.

Limongi deu 60 dias para que a empresa liste seus ativos, mas os credores avaliam que a empresa não possui mais ativos para quitar nenhuma dívida. A Avianca Brasil não pagou até o momento nem mesmo os créditos trabalhistas, que têm pagamento preferencial no plano de recuperação judicial. A empresa chegou a ser a quarta maior companhia de aviação do país e tinha mais de 5.300 funcionários, de acordo com o sindicato dos aeroviários de São Paulo.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade