Clique e assine a partir de 9,90/mês

FMI adiantará recursos e Argentina deve cumprir programa financeiro

Presidente do país diz que a decisão visa a "eliminar qualquer incerteza que teria surgido em torno do agravamento do contexto internacional"

Por EFE, AFP - Atualizado em 29 Aug 2018, 16h19 - Publicado em 29 Aug 2018, 12h21

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quarta-feira que chegou a um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para antecipar o crédito de 50 bilhões de dólares concedidos em junho para garantir o cumprimento do programa financeiro do próximo ano.

Macri disse que a decisão visa a “eliminar qualquer incerteza que teria surgido em torno do agravamento do contexto internacional”, pois, “com o financiamento para 2019” será possível “fortalecer a confiança e retomar o caminho de crescimento o mais rápido possível”.

A mensagem de Macri chega depois de o peso argentino sofrer forte desvalorização nas últimas semanas impulsionado por fatores externos, como a crise turca, e internos, como o caso de corrupção que afeta empresários e funcionários do governo anterior. Neste ano, a divisa argentina perdeu mais do 68% de seu valor ante o dólar.

Em junho, a Argentina chegou a um acordo com o FMI para um auxílio financeiro de 50 bilhões de dólares em três anos, com o objetivo de apoiar sua frágil economia em meio a uma corrida cambial iniciada em abril e que, após uma breve pausa, ganhou novo impulso nos últimos dias.

Continua após a publicidade

A volatilidade no mercado cambial provocou uma nova desvalorização do peso nesta terça-feira, a uma cotação de 32,07 pesos por dólar. Hoje, a moeda argentina era negociada a 32,15 pesos por dólar. Simultaneamente, a inflação do país acumula 19,6% até julho.

(Com AFP e EFE)

Publicidade