Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Europeus dão ultimato à Grécia: proposta deve ser apresentada nesta quarta

País frustrou parceiros europeus ao não apresentar novo plano para conseguir o resgate financeiro em reunião realizada na terça

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, pediu aos líderes europeus a concessão de um financiamento provisório para o país até o fim de julho. Em contra-partida, o país aceitará implementar algumas das reformas sugeridas pelos credores de sua dívida. A informação foi dada pela chanceler alemã Angela Merkel, após a cúpula dos países da zona do euro realizada na noite desta terça-feira em Bruxelas, na Bélgica. Uma reunião de Tsipras com Merkel e François Hollande ocorreu antes da cúpula, em que o líder grego explicou parte da proposta. Segundo Merkel, os líderes europeus aguardam uma proposta oficial para esta quarta e um documento detalhado na quinta-feira.

No domingo, os países membros da União Europeia se reunirão novamente em cúpula inédita desde a crise de 2011. A expectativa, segundo a chanceler, é que seja alcançada uma solução concreta para a questão grega durante a reunião. “Respeitamos o resultado do referendo, mas há outros 18 estados cuja soberania precisa ser considerada”, disse a líder alemã.

O governo grego informou, nesta terça, que apresentará as propostas para conseguir chegar a um “acordo sustentável” com os credores internacionais, sinalizando que não cederá em todas as demandas de austeridade propostas por líderes europeus. Nesta terça, ministros das Finanças da zona do euro se queixaram de a Grécia não ter apresentado nenhuma proposta formal na reunião do Eurogrupo realizada nesta manhã, conforme havia prometido na segunda-feira.

Leia também:

Alemanha sinaliza que não vai aliviar dívida grega

Grécia não apresenta proposta formal e frustra credores

Foi a primeira reunião da qual Euclidis Tsakalotos participou como o novo ministro de Finanças da Grécia, substituindo Yanis Varoufakis, um dos principais defensores do fim da austeridade. Depois de sair da reunião, o novo ministro tentou esquivar-se da cobrança para explicar por que não havia apresentado nenhuma proposta concreta, dizendo que a questão “é mais complicada do que isso”.

Tsakalotos surpreendeu os líderes europeus ao dizer que as propostas ainda não estavam prontas e que deveriam seriam apresentadas na quarta-feira. Os ministros europeus esperavam um documento detalhado de Atenas, mas Tsakalotos fez somente uma “apresentação oral” sobre as intenções do governo grego após a vitória do “não” no referendo realizado no domingo no país, segundo fontes que participaram do encontro.

Na esperança de influenciar Bruxelas a aceitar a oferta não oficial feita nesta terça, Tsipras telefonou a Barack Obama, para que o presidente americano pressionasse a Europa. O presidente então telefonou a Merkel pedindo para que a Alemanha trabalhasse para manter a Grécia na zona do euro. A Casa Branca tem defendido a permanência do país, temendo que sua saída possa abrir espaço para o fortalecimento de Moscou em áreas fora da zona do euro.

Leia mais:

E se você fosse a Grécia?

Ao chegar à reunião da cúpula, os líderes europeus cobraram agilidade da Grécia nas negociações para evitar uma decisão extrema, que seria a exclusão do país da zona do euro. “É nessa semana que se devem tomar as decisões”, advertiu o presidente francês, François Hollande. “Ainda não temos a base de uma negociação de uma ajuda financeira”, reforçou a chanceler alemã, Angela Merkel, alertando que “já não é questão de semanas, mas de dias”.

A Grécia se encontra em moratória com o Fundo Monetário Internacional há uma semana e não dispõe de recursos para salda outras dívidas, como a parcela de 1 bilhão de euros que deve ser quitada junto ao Banco Central Europeu no dia 20 de julho.

(Da redação)