Dólar sobe e acumula valorização de 4,75% em cinco dias | VEJA
Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Dólar sobe e acumula valorização de 4,75% em cinco dias

Cotação da moeda americana avançou 0,87%, a 3,36 reais

Por Da Redação 7 jul 2016, 18h30

O dólar fechou em alta pela quinta sessão seguida nesta quinta-feira, com a queda dos preços do petróleo alimentando o mau humor nos mercados globais e com investidores adotando cautela antes da divulgação da meta fiscal para o ano que vem. A atuação do Banco Central no mercado de câmbio também contribuiu para a moeda subir.

O avanço foi de 0,87%, a 3,36 reais. A moeda americana acumulou alta de 4,75% nas últimas cinco sessões.

“Houve uma piora relevante nos mercados lá de fora e o clima aqui ainda é moderado, de prudência”, disse o operador da corretora Intercam Glauber Romano.

A alta do dólar nos últimos dias ocorreu em meio à apreensão nos mercados globais com as possíveis consequências econômicas da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia (UE), além da atuação do Banco Central brasileiro.

Bovespa – A Bovespa fechou em leve alta nesta quinta-feira, com as ações da Petrobras resistindo no azul apesar do tombo do petróleo. A piora do cenário externo, em contrapartida, anulou boa parte dos ganhos da sessão.

O Ibovespa subiu 0,22%, a 52.014 pontos. Na máxima do dia, o indicador avançou 1,6%. O volume financeiro do pregão somou 6,2 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

O forte recuo dos preços do petróleo pressionou Wall Street. O petróleo cru do tipo Brent teve a maior queda porcentual diária desde fevereiro, perdendo 4,92%.

Leia também:

Conheça a Light Rider, primeira motocicleta impressa em 3D

CNI piora estimativa para o PIB, para queda de 3,5%

No cenário local, investidores encerraram mais uma sessão na expectativa do anúncio do governo brasileiro sobre o déficit primário de 2017. Fonte da equipe econômica afirmou à Reuters no final da manhã que o governo estava finalizando a nova meta fiscal de 2017, que deve mostrar rombo primário de 140 bilhões a 150 bilhões de reais.

A Hypermarcas foi o destaque do pregão desta quinta-feira, com alta de 3% nas ações ordinárias, que fecharam o dia cotadas a 24,41 reais. Entre as maiores altas do dia estão a Telefônica Brasil, cujas ações subiram 2,77%, Cielo, que avançou 2,49%, TIM, cujos papéis tiveram alta de 2,35% e Petrobras, que fechou o dia com as preferenciais em alta de 0,63% e as ordinárias com ganho de 2,4%.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade