Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dilma receberá presidente da Saab para discutir caças em Zurique

Presidente aproveitará viagem à Suíça para se aproximar de CEOs de multinacionais

Por Ana Clara Costa, de Davos 22 jan 2014, 10h30

A presidente Dilma Rousseff ampliou sua agenda na Suíça, onde chega na manhã de quinta-feira para participar do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Além de discursar no Fórum e se reunir com Joseph Blatter, da Fifa, a presidente também receberá representantes de multinacionais em Zurique, onde ficará hospedada, segundo fontes ligadas ao Planalto. Em especial, está previsto um encontro com o sueco Hakan Buskhe, presidente da Saab, empresa que venceu a licitação para o fornecimento dos 36 caças que vão equipar a Força Aérea do Brasil (FAB). Além de Buskhe, Dilma se reunirá com os CEOs globais da Unilever, Paul Polman, e Novartis, Joseph Jimenez.

Dilma deve chegar a Davos às 11 horas (8 horas no horário de Brasília), onde deverá ter uma reunião privada com o fundador do Fórum, Klaus Schwab, e com o presidente da Suíça, Didier Burkhalter. Depois de discursar em sessão especial, às 14h15 (11h15 no horário de Brasília), a presidente receberá os empresários do International Business Council (IBC), órgão composto por executivos das principais empresas globais e que atua no conselho de administração do Fórum de Davos.

Leia ainda: Desigualdade e emprego vão dominar agenda em Davos

Dilma leva equipe econômica a Davos para tentar reaver confiança externa

Dilma em Davos – Em 2011, após a eleição da presidente Dilma, os organizadores do evento chegaram a criar um painel de última hora para que a presidente recém-eleita pudesse falar sobre o “milagre” brasileiro. Mas ela declinou o convite, preferindo ir ao Fórum Social Mundial, em Porto Alegre – fato que se repetiu em 2012. Em 2014, o cenário é outro. A ida da presidente ao evento faz parte de uma ofensiva do Palácio do Planalto para tentar recuperar a credibilidade perdida junto ao mercado internacional. Para isso, toda a equipe econômica foi convocada a se deslocar para a Suíça. Ainda que a presidente passe menos de 24 horas no evento, sua delegação permanecerá para cumprir a agenda de debates.

Continua após a publicidade

Leia mais:

Brasil é o Bric com menos participantes em Davos​

Papa a Davos: ‘Dinheiro deve servir, não governar’

​Vigilância digital será um dos temas centrais de Davos

Petrobras – Logo na abertura do Fórum, na manhã desta quarta-feira, a presidente da Petrobras Graça Foster participou de um painel sobre energia, onde foram discutidos temas como eficiência energética e novas fontes de combustível. Ao sair do debate, Graça se negou a falar com a imprensa por estar próximo o período de divulgação de resultados. Diferentemente da maior parte dos participantes, que circulam pelo evento em debates, painéis e conversas bilaterais, a executiva brasileira se isolou em área reservada para patrocinadores (a Petrobras é uma das principais parceiras do Fórum), onde permaneceu ciceroneada por diretores da estatal.

Continua após a publicidade
Publicidade