Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como o iPhone impulsionou valor de mercado da Apple para US$ 1 trilhão

Se fosse um país, a Apple seria a 16º maior economia do mundo, logo atrás de México (US$ 1,04 tri), Espanha (US$ 1,23 tri) e Austrália (US$ 1,25 tri)

Por Da redação
Atualizado em 3 ago 2018, 22h25 - Publicado em 3 ago 2018, 16h22

A Apple fez história ao atingir o valor de mercado de 1 trilhão de dólares nesta quinta-feira. Foi a primeira empresa privada a alcançar o feito, deixando para trás – com folga – gigantes como a Microsoft, Amazon e Alphabet (Google).

O valor de mercado engloba a soma de todas as ações de uma empresa. Ontem, os papéis da Apple eram negociados a 206,11 dólares na Nasdaq, bolsa de valores que reúne companhias do setor de tecnologia.

Desde então, as ações da empresa continuaram em uma curva de ascensão: às 16h desta sexta-feira os papéis da Apple eram comercializados a 207,48 dólares.

“Isso significa que as pessoas acreditam que a Apple é capaz de continuar criando valor ao longo do tempo”, explicou o diretor de marketing e conteúdo do Insper, Silvio Laban. “O preço da ação reflete resultados passados e expectativas futuras de ganho”.

O iPhone é o grande responsável pelo sucesso da marca. Em 2007, a empresa inovou ao criar um aparelho que reunia câmera, acesso à internet, GPS e telefone. Outro truque foi implementar a tela sensível ao toque e acabar com o teclado no corpo do celular – assim, o usuário usa o recurso apenas quando necessário.

Continua após a publicidade

Tim Cook, atual CEO da Apple, também é apontado como uma das razões pelo crescimento da companhia – mesmo que alguns acreditem que a ausência de Steve Jobs pesou contra as inovações da Apple.

Foi Cook que investiu na expansão dos serviços da Apple, como o streaming Apple Music e a loja de aplicativos AppStore. A área gerou 9,5 bilhões de dólares em receita para a empresa – atrás apenas das vendas de iPhones, que resultou em 29,9 bilhões de dólares.

“A Apple é uma empresa conectada com DNA de seu fundador. Tim Cook soube alavancar as boas qualidades de Steve Jobs e fazer com que a empresa continuasse trazendo novas soluções simples e elegantes”, comentou Laban.

Continua após a publicidade

Na quinta-feira, o mercado mostrou-se otimista com a divulgação dos resultados financeiros da Apple: foram vendidos 41,3 milhões de iPhones no terceiro trimestre fiscal, 500.000 a mais que o esperado. O ânimo contrasta com a queda de 19% nas ações do Facebook após o relatório da empresa revelar perda no número de usuários e receita abaixo do esperado – foi a maior perda baixa da história de Wall Street.

Atualmente, a Apple tem 150 bilhões de dólares a mais que todas as empresas listadas no Ibovespa, os dados são da Economatica, empresa de software de investimentos. Há 10 anos, o valor de mercado da fabricante do iPhone representava apenas 10% das maiores companhias brasileiras – na época, a empresa nem figurava no ranking das mais valiosas dos Estados Unidos.

Se fosse um país, a Apple seria a 16º maior economia do mundo, logo atrás de México (1,04 trilhão de dólares), Espanha (1,23 trilhão de dólares) e Austrália (1,25 trilhão de dólares). Os dados de 2016 são do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.