Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Com reaquecimento da economia, arrecadação de impostos sobe pelo 4º mês

Aumento da atividade industrial e consumo de bens leva ao aumento de 7,3% em relação a novembro de 2019; no acumulado do ano, queda é de 7,95%

Por Larissa Quintino Atualizado em 21 dez 2020, 16h23 - Publicado em 21 dez 2020, 16h21

A arrecadação de impostos, contribuições e outras receitas federais registrou aumento de 7,31% em novembro em comparação ao mesmo período do ano passado. O resultado de novembro representa o quarto mês seguido com crescimento real da arrecadação na comparação com o mesmo período do ano anterior. Sinal importante de recuperação das atividades econômicas.  Ao todo, a arrecadação somou 140 bilhões de reais no ano passado.

De acordo com a Receita Federal, a arrecadação subiu, em novembro, por conta do aumento do nível da atividade econômica: alta de 1,03% na produção industrial e de 6% nas vendas de bens, apesar da queda das vendas de serviço e de exportações.

Além da recuperação das atividades, a arrecadação maior de imposto se deve pelo recolhimento de obrigações diferidas pela Covid-19. No segundo trimestre, o governo flexibilizou o recolhimento de contribuição previdenciária e de impostos de consumo. Com isso, neste mês, a PIS/Cofins cresceu 19% e as contribuições à Previdência Social, 10%, Ou seja, o crescimento da arrecadação se deve ao recolhimento “atrasado” de meses anteriores. Por outro lado, a redução da alíquota do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) e o crescimento de 95,71% nos valores compensados pelas empresas contribuíram para a queda de arrecadação.

Apesar da alta da arrecadação em novembro, os números da Receita Federal apontam ligeira desaceleração na comparação com outubro – quando a arrecadação teve alta real de 9,56%, a maior deste ano.

No acumulado do ano, a arrecadação somou 1,320 trilhão de reais, queda real de 7,95% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o órgão, esse foi o pior resultado para o período desde 2009, quando o resultado somou 1,325 trilhão de reais. No acumulado de janeiro a novembro de 2020, as compensações tributária totalizaram 149,897 bilhões de reais, contra 93,384 bilhões de reais no mesmo intervalo de 2019, alta de 60,52%.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)