Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Autonomia do BC pode ser analisada pela Câmara após Previdência

O presidente da Casa, Rodrigo Maia, acredita que já há votos favoráveis em número suficiente para colocar a proposta na pauta

Por da Redação Atualizado em 26 jun 2019, 17h07 - Publicado em 26 jun 2019, 14h52

O líder do Novo na Câmara, deputado Marcel Van Hattem (RS), afirmou nesta quarta-feira, 26, que a Casa pode começar a analisar o projeto de autonomia do Banco Central (BC) após a aprovação da reforma da Previdência. Pela manhã, ele e outros 21 deputados, incluindo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), participaram de um café da manhã com o presidente da instituição, Roberto Campos Neto.

Na reunião, o chefe do BC apresentou sua agenda de projetos de interesse no Congresso. Segundo Van Hattem, foram apresentadas as prioridades, mas Campos Neto deixou claro que quem decidirá sobre o que será votado primeiro é o Parlamento. “Os menos complexos tendem a ser apreciados antes em virtude da reforma da Previdência e os mais complexos, como o da autonomia, mesmo que já tenham hoje uma maioria formada, têm também uma minoria muito empedernida contra. Então podem ficar para mais tarde”, disse.

  • A autonomia do Banco Central é tida como a principal proposta da instituição junto ao Legislativo neste momento. Maia acredita que já há votos favoráveis em número suficiente para colocar a proposta na pauta. No entanto, ele pediu que os líderes de partidos levem a questão aos seus deputados.

    No encontro desta quarta-feira, também houve a confirmação de que o deputado federal Celso Maldaner (MDB-SC) será o relator da proposta de autonomia na Câmara. Além da autonomia, Campos Neto citou entre os projetos o que trata da Lei de Resolução Bancária, do plano de redução de spreads no cheque especial e no rotativo, e da simplificação cambial.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade