Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Me Engana que Eu Posto Por Coluna A verdade por trás de manchetes falsas que se espalham pela internet. Editado por João Pedroso de Campos.

Carteira assinada entre 1998 e 2016 dá direito a dois salários?

Boato que voltou a ser compartilhado no WhatsApp nos últimos dias contém link que pode 'roubar' dados de quem o acessa

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 27 set 2018, 15h15 - Publicado em 9 out 2017, 21h52

Voltou a circular no WhatsApp e em redes sociais nos últimos dias um boato segundo o qual aqueles que tenham trabalhado com carteira assinada entre 1998 e 2016 têm direito a receber, retroativamente, o valor de até dois salários mínimos:

Você trabalhou com carteira assinada no período entre 1998 a 2016? Se SIM, você pode está apto a receber retroativo de até 2 salários mínimos. Verifique seu nome na lista para sacar até R$1.760,00 em uma agência da CAIXA mais próxima. Lista Completa no link abaixo http://sinemprego.com/fgts/”

A lorota surgiu em 2016, quando o salário mínimo era de 880 reais – o que explica o valor de dois salários mínimos ali enunciado ser de 1.760 reais, e não de 1.874 reais, dobro dos 937 reais do salário mínimo de 2017.

Não há, além disso, nenhuma informação da Caixa Econômica Federal a respeito do suposto valor à disposição dos trabalhadores. As recomendações mais recentes do banco estatal acerca de saques se referiam às contas inativas do FGTS, cujos valores puderam ser retirados entre março e julho de 2017 por aqueles que pediram demissão ou foram demitidos por justa causa até 31 de dezembro de 2015. Nada relacionado a quem teve a carteira de trabalho assinada entre 1998 e 2016.

Este boato, contudo, não é mau apenas por ser uma completa mentira. O link do “sinemprego” é classificado como “enganoso” ou “malicioso” e o acesso a ele é bloqueado pelos navegadores da internet. Isso significa que, ao acessar o site, o internauta pode ter “roubados” dados pessoais, tais como senhas de cartão de crédito e números de telefone (veja abaixo).

Continua após a publicidade

Reprodução/Reprodução

Aos que contrariam as recomendações de segurança e insistem em visitar o endereço, os golpistas sugerem três perguntas, que devem ser respondidas para que o acesso à lista de beneficiários seja liberado. Ao passar por essas etapas, no entanto, o incauto internauta depara com uma tela que informa que lista está bloqueada e condiciona o desbloqueio ao compartilhamento do boato em oito grupos ou até vinte amigos no WhatsApp. Quando o conteúdo é compartilhado, o ciclo se repete.

Não há, portanto, dois salários mínimos à disposição de quem trabalhou com registro em carteira entre 1998 e 2016. Trata-se de um boato para enganar pessoas e aplicar golpes na internet.

 

Agora você também pode colaborar com o Me engana que eu posto no combate às notícias mentirosas da internet. Recebeu alguma informação que suspeita – ou tem certeza – ser falsa? Envie para o blog via WhatsApp, no número (11) 9 9967-9374.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês