Uma rede social para dois

Rede só para pares conseguiu, em quatro dias, mais de 50.000 usuários, que enviaram mais de 1 milhão de mensagens uns aos outros

Mesmo possuindo centenas de amigos no Facebook, provavelmente há apenas algumas pessoas – e uma em particular – com quem você interage mais na vida real. Um novo aplicativo gratuito, chamado Pair, quer facilitar sua conexão com esse alguém especial, seja ele um amigo, parceiro ou familiar. E, embora possa parecer um pouco tolo, esse aplicativo mostra que ainda há muito espaço para inovação no campo cada vez mais movimentado de aplicativos sociais móveis. Por meio do Pair é possível rocar mensagens, vídeos e “beijos” com alguém especial.

Estatísticas mostram que o Pair também pode ter descoberto algo: nos primeiros quatro dias após seu lançamento, ele conseguiu mais de 50.000 usuários registrados, que enviaram mais de 1 milhão de mensagens uns aos outros. E embora fosse candidato a 150.000 dólares em investimentos garantidos por ter participado da sessão de inverno da incubadora de startups Y Combinator, o Pair também recebeu financiamento de Dave Morin, CEO de outro aplicativo social móvel, o Path.

O Pair começou como algo inteiramente diferente. Segundo Aswin Rajendiran, de 27 anos, ele e seus quatro cofundadores estavam inicialmente trabalhando num software chamado Maide, que podia controlar ferramentas de CAD 3-D pelo iPad. Os fundadores, todos formados ou ainda frequentando a Universidade de Waterloo, no Canadá, se mudaram para Mountain View, na Califórnia, há alguns meses para desenvolver o Maide na Y Combinator. Mesmo tendo recebido boas avaliações para seu projeto, “não era uma coisa de uso diário”, explicou Rajendiran.

Enquanto buscavam novas ideias, eles começaram a pensar nas dificuldades de estabelecer uma comunicação em relacionamentos à distância _ um problema vivido por três deles, que tentavam manter relacionamentos no Canadá após terem se mudado para os Estados Unidos.

Reconhecendo que nos comunicamos basicamente com uma ou duas pessoas, e que muitos de nós usam diversos métodos para essa comunicação, Rajendiran e seus colaboradores criaram o Pair para simplificar e amplificar as conexões entre duas pessoas.

Após baixar o aplicativo em seu iPhone (Rajendiran afirma que a versão para Android estará disponível em breve), você convida uma outra pessoa para usar o aplicativo com você. Depois que essa pessoa aceita, o Pair permite que vocês troquem mensagens, vídeos, fotos, desenhos simples e muito mais. Há também vários recursos interativos, incluindo um chamado Thumbkiss _ que exibe uma impressão digital quando você toca a tela e faz os dois telefones vibrarem quando você e seu interlocutor tocam o mesmo local. Para manter a comunicação do Pair privada, o aplicativo pode ser bloqueado com um código de quatro dígitos.

Para Craig Elimeliah, diretor digital da agência de publicidade RAPP, em Nova York, o Pair é como ter uma versão privada do Facebook ou Twitter. Ele conta ter testado o aplicativo inicialmente, pois seu trabalho exige estar sempre a par de novas tecnologias, mas logo percebeu que a novidade era ótima para compartilhar mensagens e links com sua esposa sem que seus filhos vissem ao mexer nos telefones dos pais. “É uma coisa meio romântica”, disse ele. “O aplicativo cria algo só entre ela e eu, e não há mais nada na tela. Ele mantém a conversa focada.”

Rajendiran afirma que, por enquanto, o foco está em aprimorar a qualidade das interações entre usuários, e não em ganhar dinheiro. Mas a startup poderá eventualmente vender recursos avançados. Catalina Toma, professora da Universidade de Wisconsin-Madison que estuda o impacto da tecnologia sobre relacionamentos, explica que o Pair ajuda as pessoas a mostrar aos parceiros que eles são importantes _ algo essencial para manter uma ligação próxima e feliz. “Os casais têm esse tipo de comportamento de qualquer forma – trocam mensagens, enviam fotos -, e esse aplicativo os une em uma plataforma e reconhece a importância desse comportamento”, acrescentou ela.

E o Pair não está apenas aproximando pessoas amadas. James Tamplin, ex-participante da Y Combinator e CEO do fabricante de softwares para chat online Envolve, vem usando o aplicativo com seu cofundador _ e diz que o Pair pode se tornar uma ferramenta também para relacionamentos corporativos. “Ele tem seu chamariz, que é a parte de relacionamentos, mas sua base é um sistema avançado de troca de mensagens”, afirmou ele. “Acho que eles podem usar essa tecnologia para expandi-lo além dos casais, tornando-o útil e produtivo.”