Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Stress dos pais é fator de risco para obesidade entre os filhos

Pesquisa americana ainda relacionou o stress dos pais a um maior consumo de fast-food das crianças

Um estudo publicado nesta segunda-feira na revista Pediatrics sugere que o stress dos pais é um importante fator de risco para a obesidade entre os filhos. A pesquisa, desenvolvida no Hospital Infantil da Filadélfia, nos Estados Unidos, ainda mostrou que o stress entre esses adultos pode aumentar o consumo de fast-food entre as crianças, comportamento que está associado a um maior risco de diversas doenças, entre elas a hipertensão e a síndrome metabólica.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Influence of Stress in Parents on Child Obesity and Related Behaviors

Onde foi divulgada: revista Pediatrics

Quem fez: Elizabeth Parks, Shiriki Kumanyika, Reneé Moore, Nicolas Stettler, Brian Wrotniak e Anne Kazak

Instituição: Hospital Infantil da Filadélfia, Estados Unidos

Dados de amostragem: 2.119 pais ou cuidadores de crianças e adolescentes de três a 17 anos de idade

Resultado: Pais que apresentam mais fatores que provocam stress, como dificuldades financeiras ou problemas de saúde, são mais propensos a terem filhos obesos. Os filhos dos adultos que se consideram mais estressados consomem mais fast-food

O trabalho se baseou em questionários aplicados em 2.119 pais ou cuidadores de crianças e adolescentes de três a 17 anos de idade. A equipe avaliou a presença de fatores que provocam stress entre os pais, medidos a partir dos relatos dos participantes sobre estado de saúde, situação financeira e estrutura familiar. Ter uma doença, ser submetido a tratamentos, enfrentar dificuldades financeiras e ser mãe solteira foram alguns dos fatores considerados como desencadeadores de stress.

Além disso, os pesquisadores levaram em consideração a percepção que esses pais tinham sobre os seus próprios níveis stress – ou seja, o quão estressados eles acreditavam ser. Para isso, os autores perguntaram aos participantes qual o nível de stress, em uma escala de um a dez, que eles consideravam sofrer.

Conclusões – Os resultados mostraram que quanto mais fatores causadores de stress os pais apresentavam, maiores as chances de seus filhos serem obesos. Além disso, os filhos dos adultos que se consideravam mais estressados eram propensos a consumir mais fast-food, especialmente as crianças entre três e cinco anos. O stress entre os pais, no entanto, não afetou outros comportamentos associados ao sobrepeso, como a baixa ingestão de frutas e vegetais ou o sedentarismo.

De acordo com os autores, esse estudo contribui com outras pesquisas anteriores que relacionaram o stress entre os pais com um maior consumo de alimentos calóricos ou gordurosos entre os seus filhos. Uma possível explicação para essa relação, segundo os pesquisadores, pode estar no fato de que adultos muitos estressados evitam gastar muito tempo preparando refeições em casa e, portanto, optam por dar fast-food a seus filhos.

Obesidade infantil – Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 170 milhões de jovens até 18 anos em todo o mundo são obesos ou têm sobrepeso. No Brasil, dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontaram que, em 2009, 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas entre 5 e 9 anos de idade eram obesos. Esse índice, entre adultos, foi de 15,9% para homens e 19,6% para mulheres.