Ministério pretende separar casos de gripe nos hospitais

O Ministério da Saúde recomendou que Estados e municípios separem na emergência de hospitais pacientes com sintomas de gripe e outros problemas respiratórios dos demais, mesmo que para isso seja preciso montar tendas de atendimento. O secretário de Atenção à Saúde do ministério, Alberto Beltrame, afirmou que o ideal é estabelecer duas portas para receber pacientes na emergência. �Nos casos em que essa divisão não é possível, a saída é montar tendas.�

A medida é importante para garantir o atendimento mais rápido e evitar que pacientes com outros problemas de saúde tenham contato com pessoas que apresentam sintomas da gripe suína. Instituições do Rio Grande do Sul já começam a atender suspeitos de gripe em contêineres especialmente montados para esse fim. Em Minas Gerais, parte dos hospitais montaram serviços específicos na emergência para atender só pacientes com sintomas de problemas respiratórios.

O diretor de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, Eduardo Hage, afirmou ser importante que pacientes com risco de agravamento da doença, como crianças menores de 2 anos e pessoas portadoras de doenças como diabetes e insuficiência respiratória, sejam atendidos o mais rápido possível. Desde a semana passada, a lista de doenças consideradas de risco para agravamento da gripe passou a incorporar a obesidade mórbida. Para Hage, todas essas medidas são úteis para evitar casos graves de gripe suína. �Esse agora é nosso maior objetivo.�

(Agência Estado)