Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alimentação pela mamadeira aumenta risco de obesidade infantil, diz pesquisa

Bebês que são alimentados exclusivamente por mamadeira podem ganhar até um quilo a mais em 12 meses comparados aos que mamam no peito

A mamadeira pode ser uma das responsáveis pela obesidade infantil. Bebês que mamam exclusivamente no peito ganham menos peso durante o primeiro ano de vida quando comparados àqueles que são alimentados exclusivamente com mamadeira, indicaram pesquisadores do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), órgão de saúde do governo americano. Segundo o estudo, esse ganho pode ser até um quilo menor em 12 meses. Os resultados da pesquisa foram publicados na edição deste mês do periódico Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Risk of Bottle-feeding for Rapid Weight Gain During the First Year of Life

Onde foi divulgada: periódico Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine.

Quem fez: Ruowei Li, Joselito Magadia, Sara Fein e Laurence Grummer-Strawn

Instituição: Centro Para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos

Dados de amostragem: 1.900 bebês até o primeiro ano de vida

Resultado: Em comparação com bebês que foram exclusivamente amamentados pelo seio materno, aqueles que somente foram alimentados por mamadeira ganharam 1kg a mais em um ano; e os que foram amamentados pelo seio e leite industrializado na mamadeira engordaram 600g a mais

Para estudar a relação entre formas de alimentação e ganho de peso entre bebês, os autores da pesquisa acompanharam 1.900 crianças desde o nascimento até elas completarem um ano de idade. Ao longo desse período, as mães relataram à equipe informações sobre seus filhos, como o peso corporal em diferentes meses, se eles estavam sendo amamentados no peito ou se eram alimentados pela mamadeira.

Leia também:

Pediatras americanos reforçam recomendação de amamentação exclusiva para bebês até os seis meses

Um ano após o nascimento, em comparação com os bebês que foram exclusivamente amamentados pelo seio materno, as crianças que somente foram alimentadas com mamadeira, seja com leite materno ou outro, ganharam aproximadamente um quilo a mais – ou cerca de 85 gramas a mais por mês. Além disso, os bebês que foram amamentados no seio e que também beberam leite industrializado na mamadeira ganharam, em média, 50 gramas ao mês, ou 600 gramas no ano, a mais. As crianças que, além da amamentação, também beberam leite materno na mamadeira, também mostraram diferença de peso, embora menor.

Segundo os pesquisadores, isso pode ser explicado pelo fato de que as crianças, quando mamam no peito, decidem quando estão satisfeitas. Por outro lado, as que tomam leite na mamadeira, ao se submeterem à quantidade do líquido no suporte e serem menos ativas nessa decisão, podem perder parte da sensibilidade aos sinais do organismo que indicam saciedade e fome. Ou seja, ficou claro que, além do tipo de leite (da mãe ou industrializado), o modo como ele é entregue para as crianças também influi no ganho de peso. A equipe, porém, afirma que essa associação não está totalmente clara, mas os resultados deixam claro que a amamentação materna deve ser a primeira escolha em relação à alimentação dos bebês, como já recomendam as associações médicas e a Organização Mundial da Saúde.

Clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre cuidados na gravidez e com o bebê:

(Com reportagem de Natalia Cuminale)

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.