Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Operação da PF investiga doação para Haddad em 2012

Ação tem como base a delação premiada da construtora UTC, que relatou pagamento não declarado de R$ 2,6 milhões para a campanha do ex-prefeito

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira um novo desdobramento da Operação Lava Jato em São Paulo. Batizada de Cifra Oculta, a operação investiga um suposto pagamento de 2,6 milhões de reais, em caixa 2, da empreiteira UTC à campanha do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) em 2012.

Agentes cumprem nove mandados de busca e apreensão, nas cidades de São Paulo, São Caetano e Praia Grande, investigando crimes de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. A acusação é baseada na delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, sócio da UTC, e, segundo a PF, foi usado para pagar dívidas da campanha do ex-prefeito com uma gráfica que prestou serviços e que pertence a familiares do ex-deputado estadual Francisco Carlos de Souza (PT)

Em nota, a Polícia Federal informa que o repasse teria sido feito por meio de um doleiro e em dinheiro vivo, em valores muito diferentes daqueles que foram declarados à Justiça Eleitoral como pagamento de serviços gráficos. A prestação de contas de Haddad informou ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), pagamentos de 354 e 252 mil a duas gráficas, sendo que uma é citada na delação de Pessoa.

O ex-prefeito Fernando Haddad, por meio de assessoria, informa que a gráfica de Souza “prestou apenas pequenos serviços devidamente pagos pela campanha e registrados no TRE”. Haddad nega ter recebido dinheiro da construtora UTC e alega que esta teve “seus interesses contrariados” pela sua gestão, por conta do cancelamento das obras do túnel da avenida Roberto Marinho. Portanto, o ex-prefeito acredita que seria “contraditório uma empresa que teve seus interesses prejudicados pela administração, saldar uma dívida de campanha deste administrador”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Flávio Pereira

    Eu quero ver ele na Cadeia!

    Curtir

  2. Claudio Marinho

    Ainda recebeu dinheiro da Braskem e com certeza também da JBS. Também precisa ser investigado pelo superfaturamento de obras , principalmente as que se referem à ciclovias superfaturadas e outras inúteis as quais ninguém utiliza.
    Roubo e corrupção é com o PT!

    Curtir

  3. Ataíde Jorge de Oliveira

    Teoria! — PURA — do Estado.PT
    PT_$äUD:D’AÇõE$ — FreeBOy&
    @VaCCaaTRá$ q_é BoM:nADa!!

    Curtir

  4. Poe ele(HADDAD) para raspar as ciclofaixas que nao serve pra nada…

    Curtir

  5. persianasflaci.blogspot.com

    Faz me rir ,, nenhum politico fica preso nesse pais.

    Curtir

  6. Horácio Roque Brandão

    Esta encrencado o Haddad. Contrariar interesse do delator podera ter sido uma pré planejada estratégia de futura defesa. Tem também delação da Oldebrecht, ou seja….

    Curtir