Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O PSDB apoia e seguirá apoiando governo Temer, diz Aloysio Nunes

Nos EUA, ministro das Relações Exteriores afirma que presidente, ‘mais do que ninguém', tem condições de angariar apoio no Congresso para aprovar reformas

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, afirmou nesta quinta-feira em Washington que seu partido, o PSDB, está no governo do presidente Michel Temer (PMDB) e tem consciência de seus compromissos, entre eles, o de apoiar as reformas em curso. “[O PSDB], na sua linha dominante, é um partido que está no governo, que apoia o governo e que sustentará o governo”, disse.

Segundo ele, há clima político no Brasil para aprovar as mudanças em andamento e Temer, “mais do que ninguém, tem hoje condições de angariar maioria parlamentar para aprovar as reformas”.

“Todos compreendem que estamos vivendo um momento de turbulência política no Brasil. Isso é inegável. Mas não há turbulência institucional. As instituições funcionam e é isso que conta nas relações externas dos países”, disse o ministro, após reunião com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro.

O dirigente da OEA também reiterou que as instituições no Brasil estão funcionando e que os poderes continuam independentes. “Para mim, não me preocupa quando casos de corrupção são julgados. Isso é bom, e é assim que deve ser feito em todos os países. Me preocupa quando os casos de corrupção não são julgados. A Venezuela é o país mais corrupto do continente e é um dos dez países mais corruptos do mundo e não há um só caso julgado de corrupção no sistema político venezuelano”, afirmou Almagro.

Aloysio Nunes apresentou ao secretário-geral da OEA a possibilidade de que uma missão da organização acompanhe as próximas eleições no Brasil. “Para nós, brasileiros, é uma ocasião a mais de aperfeiçoar aquilo que tem que ser aperfeiçoado e submeter o nosso processo de apuração de votos e de organização das eleições ao escrutínio internacional”, afirmou.

PSDB dividido

Apesar do discurso do ministro em Washington, o PSDB ainda não sabe o que fazer em relação ao governo Temer – há quem defenda o desembarque, há quem pregue a permanência, há quem advoga a entrega de cargos sem deixar de dar apoio no Congresso e há até quem pense em uma saída negociada para a renúncia de Temer.

Além de Aloysio, o PSDB tem na gestão Temer outros três ministros – Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Luislinda Valois (Direitos Humanos) e Bruno Araújo (Cidades).

Os diretórios estaduais do Rio e do Rio Grande do Sul já aprovaram o desembarque do governo. Outro foco de resistência a continuar no governo está em São Paulo. O presidente do diretório paulista, Pedro Tobias, aliado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), convocou uma reunião aberta a todos os filiados para segunda-feira, dia 5, para discutir a questão.

“Não pode mais reunião de cinco ou seis decidir para onde vai o partido”, disse o dirigente ao jornal Valor Econômico. Nos últimos dias, têm ocorrido encontros entre caciques do partido, como o próprio Alckmin, o senador Tasso Jereissatti (PSDB-CE) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para discutir o cenário político e o apoio a Temer.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fábio Luís Inaimo

    Quem ganha com isso tudo é o PT e a esquerda IDIOTAS !!

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    Viva o Imortal Zé do Sir NeY
    Política é a Arte da TRAIÇãO

    Curtir

  3. Um grande erro. O PSDB perdeu muita credibilidade e esta se afundando a cada dia.

    Curtir