O cansaço de Moro na Lava Jato

Se por diversas vezes na semana os principais delatores da Lava Jato têm de depor nas 31 ações penais que tratam do esquema do petrolão, hoje até mesmo o juiz Sergio Moro, que conduz os processos na 1ª instância, admitiu cansaço por ter de ouvir em todos os processos sempre as mesmas explicações sobre o funcionamento do cartel de empreiteiras que fraudou contratos da Petrobras e sobre o esquema de partilha de propina entre partidos políticos. Em audiência do ex-diretor Paulo Roberto Costa, que em todo depoimento lembra quando entrou na Petrobras, como foi apadrinhado pelo PP e pelo PMDB e como dividia o dinheiro sujo do esquema, Moro tentou descontrair: “Sei que o senhor já foi ouvido sobre fatos similares várias vezes. Sei que o senhor já manifestou que está cansado de relatar esses fatos, mas essa é uma outra ação penal e infelizmente o senhor tem que relatar parte desses fatos novamente. O senhor está cansado de falar e eu também estou cansado de ouvir um pouco essa história”. “Mas isso não é um consolo”, resumiu o juiz antes de ouvir pela enésima vez o depoimento de Costa, nesta ocasião no processo que envolve executivos da empreiteira Andrade Gutierrez. (Laryssa Borges, de Brasília)