Nos EUA, Temer fala em estabilidade política ‘extraordinária’

Presidente participa de almoço em Nova York para pedir investimentos no Brasil

O presidente Michel Temer disse que o Brasil tem hoje uma “estabilidade política extraordinária” que cria um ambiente de segurança jurídica para o investidor. Em almoço para empresários e investidores americanos, o dirigente convidou os presentes a investir no país.

“Temos alardeado que no Brasil o que for contratado será cumprido”, afirmou Temer, lembrando que a instabilidade política e a insegurança jurídica são dois fatores que afugentam investidores estrangeiros. No almoço, Temer falou do programa de concessões em infraestrutura lançado recentemente em Brasília. Segundo ele, o apoio da iniciativa privada é fundamental. O presidente ressaltou ainda que a confiança dos agentes já volta a se recuperar de forma rápida. “Houve momento em que se perdeu a confiança no país. E onde não há esperança, confiança, não há investimento”.

Leia também: Reforma trabalhista ficará para 2017, diz ministro

“Venho para convidá-los para participar dessa nova fase de crescimento do país”, afirmou ele, destacando que esse momento do Brasil é ancorado primeiro na estabilidade política, na segurança jurídica e terceiro no potencial do mercado doméstico. “A estabilidade política já se estabeleceu”, afirmou Temer. “Não tenham preocupação, não titubeiem. Vamos levar adiante os programas.”

No caso da reforma da Previdência, Temer disse que sempre é uma reforma mais difícil, por isso, prevê resistência. “Mas haverá muito convencimento. Estamos cuidando de divulgar o máximo possível a necessidade dessa modificação de natureza constitucional.”

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Genivaldo Marques

    Qual é mesmo o país a quem temer se refere. Percebo um caos político, Percebo um desespero para escapar dos crimes anteriores cometido, percebo um clima de medo , vejo a necessidade de mudanças profundas na política brasileira. Um país politicamente falido. Não adianta tentar construir o novo sobre bases velhas e comprometidas, não prosperará. Precisamos do novo, ou melhor, da nova República, e isso só com bases novas e sólidas.

    Curtir