Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maluf e Haddad se reencontram em festa do Palmeiras

Candidato petista à prefeitura de São Paulo vai embora antes de jantar ser servido. José Serra, Soninha Francine e Gabriel Chalita também foram ao evento

O jantar que celebrou os 98 anos da Sociedade Esportiva Palmeiras, na noite desta segunda-feira, em São Paulo, marcou o reencontro de Paulo Maluf e do candidato do PT à prefeitura da capital paulista, Fernando Haddad. Os dois não eram vistos juntos em público desde 18 de junho, data que marcou o aperto de mão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do deputado do PP em torno do “novo homem”.

Maluf já estava acomodado na mesa 35, na fileira mais à direita do salão do Espaço das Américas, na zona oeste da cidade, quando Haddad chegou acompanhado de sua vice, Nádia Campeão (PCdoB), do deputado Vicente Cândido (PT) e do coordenador de sua campanha, o vereador e candidato à reeleição Antonio Donato (PT). Os petistas foram acomodados na mesa 36, bem ao lado da de Maluf – o deputado recebeu o convite pessoalmente, na tarde de segunda, em sua casa, do presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone.

Assim que avistou o Haddad, Maluf foi cumprimentá-lo. Elogiou os programas eleitorais do petista na televisão. O candidato retribuiu, agradecendo e enaltecendo a participação do PP na campanha. Minutos depois, o deputado explicava à imprensa o motivo que levou seu partido a se aliar ao inimigo histórico na cidade. “Essa cidade estará mais bem entregue a alguém que tenha sintonia com o governo federal, por isso meu partido decidiu apoiar Fernando Haddad”, disse Maluf. “Estamos com ele”.

E estaria Maluf disposto a participar da campanha do petista? “O candidato é ele. É ele quem tem que gastar sola de sapato”, afirmou o deputado, lembrando frase dita há alguns meses pela senadora Marta Suplicy, que se mantinha afastada da campanha petista até esta segunda, quando anunciou apoio a Haddad.

Na última vez em que Maluf e Haddad estiveram juntos, com a presença da imprensa e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nos jardins da casa do deputado do PP, em um bairro nobre da capital paulista, a imagem do encontro provocou a imediata renúncia de Luiza Erundina do posto de vice na chapa encabeçada por Haddad, mas garantiu ao PT 1min30s a mais ao tempo que o ex-ministro tem hoje no horário eleitoral gratuito.

O reencontro desta segunda-feira era para ter acontecido na noite da última sexta-feira, no Clube Monte Líbano, na zona sul da cidade, em um jantar em homenagem ao ex-ministro da Educação. Maluf havia confirmado presença no evento organizado pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil e pela Comunidade Árabe de São Paulo, mas quando se preparava para sair de casa foi surpreendido por visitas de sua mulher, Silvia. O deputado pediu para que Jesse Ribeiro, secretário-geral do PP em São Paulo e seu braço-direito, o representasse no evento, mas ele estava no interior do estado.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumprimenta o deputado federal Paulo Maluf, durante anúncio de apoio do PP à candidatura de Fernando Haddad a prefeito de São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumprimenta o deputado federal Paulo Maluf, durante anúncio de apoio do PP à candidatura de Fernando Haddad a prefeito de São Paulo (VEJA)

Passagem relâmpago Na festa do Palmeiras, nesta segunda, Haddad ficou cerca de uma hora no encontro. Foi embora antes mesmo de o jantar ser servido. Quando se preparava para a despedida, o ex-ministro foi pego pelo braço por Jesse Ribeiro, que também é vice-presidente do conselho deliberativo do Palmeiras: “Deixa eu te apresentar umas pessoas.”

Ele circulou com o petista por algumas das mais de cem mesas do salão. Enquanto o ex-ministro era apresentado aos convidados, seu adversário na disputa em São Paulo, o palmeirense José Serra (PSDB) chegava à festa acompanhado do prefeito Gilberto Kassab. Os caminhos não se cruzaram e os dois não se cumprimentaram.

Jesse, que se orgulha de dizer que aliança entre PP e PT foi fechada por ele, tem feito questão de participar da campanha de Haddad. Na manhã de segunda, por exemplo, acompanhou a participação do petista em um ciclo de debates promovido pelo Secovi, sindicato do setor de habitação de São Paulo. Depois, deu dicas ao ex-ministro: “Fale menos do Ministério da Educação e mais das questões da cidade”.

Na semana passada, logo depois dos primeiros dias da propaganda eleitoral na televisão, Jesse pediu que os candidatos a vereadores do PP voltassem para o estúdio para regravarem suas participações. Elas foram ao ar sem “Haddad prefeito” ao final das falas. As novas peças começam a ser transmitidas nos próximos dias.

Votos ou autógrafos? – Palmeirense, o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, posava para fotos no centro do salão do Espaço das Américas quando o adversário Fernando Haddad ia embora. Pouco tempo depois, o tucano também deixou o local, acompanhado do prefeito Gilberto Kassab. Nenhum deles de fato jantou no local.

Na saída, deparou-se com o candidato do PMDB, Gabriel Chalita – um crítico contumaz do estilo de Serra de fazer política. Cumprimentarem-se protocolarmente. Mais à vontade na festa estava a também palmeirense Soninha Francine, candidata à prefeitura pelo PPS. Ela procurava alguém que a tirasse para dançar ao som de músicas que foram sucesso nos anos 1980.

Enquanto candidatos circulavam, Marcos, goleiro do Palmeiras até o final de 2011, não conseguia sair do lugar. Cercado por seguranças, o ídolo da torcida alviverde era disputado pelos convidados em busca de fotos e autógrafos.

Agenda alviverde – Na liderança das pesquisas eleitorais, o candidato do PRB, Celso Russomanno, foi convidado, mas não compareceu à festa de 98 anos do Palmeiras. Nada de desfeita. Russomanno já tinha agendado uma visita às obras da Arena Palestra Itália, o novo estádio do clube. O encontro do candidato do PRB com os palmeirenses está marcado para às 11 horas desta quarta-feira.