Maia defende definição rápida sobre denúncia contra Temer

'O Brasil não pode ficar parado', afirmou o presidente da Câmara

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu na noite desta quinta-feira que o Congresso defina rapidamente se aceita ou não a denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

“Minha vontade pessoal é que a gente deva encerrar este assunto assim que sair da Comissão de Constituição e Justiça – o Brasil não pode ficar parado com o parecer até o mês de agosto”, disse, em entrevista à imprensa brasileira, em Buenos Aires. O governo precisa garantir 172 votos no plenário da Câmara para evitar o julgamento.

Maia desembarcou na capital argentina nesta quinta para participar do Primeiro Fórum Parlamentar sobre Relações Internacionais e Diplomacia Parlamentar. Ele negou que tenha saído do Brasil para evitar ter que assumir o lugar de Temer, durante a viagem do presidente à Alemanha, onde participará da reunião do G20. Segundo Maia, a participação dele no evento na Argentina já tinha sido acertada há mais de um mês. “Tenho o maior orgulho de sentar na cadeira da Presidência da República em qualquer momento”, afirmou.

Maia presidente?

No dia em que o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse que Maia “tem condições” de conduzir o país caso Temer seja afastado em uma eventual aceitação da denúncia pela Câmara, o deputado se esquivou de responder sobre o que faria caso assumisse a Presidência do país.

“Para que a gente possa colaborar com a democracia brasileira e a estabilidade no Brasil, essa é uma análise que eu não acho prudente. O presidente Michel Temer tem uma base de apoio grande”, disse. “Claro que não é uma votação fácil, mas a probabilidade maior é que ele vença essa denúncia. Acho que o passo seguinte não deve ser avaliado, a não ser que ele ocorra.”
Maia ressaltou que pretende continuar na presidência da Câmara trabalhando pela aprovação das reformas até 2018. Na sua avaliação, Temer terá o apoio parlamentar necessário para evitar ser julgado e se manter no cargo.

Reformas

Maia insistiu na necessidade de “votar a denúncia rápido” para seguir adiante com a votação das reformas, mas ele disse que existe a possibilidade da CCJ só concluir seu trabalho no dia 17 de julho, quando começa o recesso parlamentar. Neste caso, a votação seria na primeira semana de agosto – a não ser que o plenário da Câmara aceite votar durante o recesso.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    brAZÏL
    KPTaLL
    : buENO$AÏRE$

    Curtir

  2. Helcio Batista da Silva

    Maia, o próximo ladrão da fila à assumir a presidência.

    Curtir

  3. Helio Duailibe

    Precisamos mudar essa nossa Constituição e um determinado artigo proibir a sua mudanca pois nesse nossos políticos não é querem enfrentar crises políticas constantes e preferem mudar a constituição para satisfazer seus interesses pessoais dessa forma existe País que se desenvolva e o povo continua sempre ralando e sofrendo as consequências das irresponsabilidades dos políticos que são responsabilizados pelos seus atos. Assim é bom ser político ninguém é punido e ficam ricos e com privilégios.

    Curtir

  4. persianasflaci.blogspot.com

    A briga pelo poder é grande ,,

    Curtir