Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel e Saulo Guerra ficam em silêncio em depoimento à PF

Filhos da ex-ministra Erenice Guerra passaram a ser investigados depois que VEJA revelou existência de lobby dentro da Casa Civil

Israel e Saulo Guerra, filhos da ex-ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, não responderam às perguntas de policiais federais durante depoimento prestado na tarde desta terça-feira à Polícia Federal, em Brasília. Eles são investigados por suspeita de tráfico de influência dentro do governo.

O advogado Marcelo Leal alega que ambos são inocentes, mas preferiram o silêncio. “Os fatos não estão totalmente delineados. E nós acreditamos que existe um forte componente político nisso tudo”. Leal se recusou a dar detalhes da motivação de Saulo e Israel para não responder às perguntas.

VEJA revelou que a Capital Consultoria, empresa controlada por Israel, oferecia serviços de lobby para empresas interessadas em firmar contratos com o governo. Em contrapartida, a companhia cobrava uma comissão de 6% sobre o valor do negócio. O escândalo levou à queda da então ministra Erenice Guerra e de Vinícius Castro, assessor da Casa Civil que estaria envolvido no esquema.

Os dois irmãos chegaram à Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília no mesmo carro, acompanhados do advogado. Eles não conversaram com a imprensa.O depoimento de Saulo estava marcado para as 14h. O de Israel começaria em seguida, às 15h.

Vinícius Castro, a mãe dele, Sônia, e Marco Antonio de Oliveira, ex-diretor dos Correios, também já foram ouvidos pela Polícia Federal.