Genoino passa mal e é levado a hospital de Brasília

Mensaleiro é internado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal com sintomas de infarto, segundo seu advogado

O ex-presidente do PT José Genoino, condenado no escândalo do mensalão, foi levado nesta quinta-feira ao Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), dentro do complexo do Hospital das Forças Armadas, em Brasília, após passar mal no Complexo da Papuda, onde está preso em regime semiaberto.

De acordo com o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende o petista no processo do mensalão, uma das hipóteses é que Genoino tenha sofrido um infarto. Apesar de a Papuda contar com serviço médico, a avaliação da defesa é a de que não há condições de tratamento dentro do complexo penitenciário. Ele será submetido a exames no ICDF.

Leia mais:

Radar: Mensaleiros não têm queixas sobre Papuda

Reinaldo Azevedo: Genoino dispensou exame do IML

Perícia – Nesta quinta-feira, o ministro Joaquim Barbosa determinou a realização de perícia médica para analisar o estado de saúde de Genoino. Em sua decisão, o ministro destacou que a avaliação do condenado deve ser feita por, no mínimo, três médicos cardiologistas indicados pelos diretores do Hospital Universitário de Brasília (HUB). Barbosa quer saber se, para o adequado tratamento do condenado, é necessário que ele permaneça em sua residência ou internado em unidade hospitalar.

Assim que Genoino foi preso, sua defesa encaminhou pedido de prisão domiciliar alegando que o quadro de saúde do petista é grave. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) atesta que o mensaleiro precisa de alimentação especial e medicamento próprio. A perícia concluiu que Genoino é “paciente com doença grave, crônica e que necessita de cuidados gerais”. Em julho de 2013, Genoino foi internado em São Paulo com dores no peito e passou por uma cirurgia para reparar um rompimento na parede interna da artéria aorta.

Cassação – Em uma ação comandada pelo PT, a Câmara dos Deputados adiou nesta quinta-feira a abertura do processo de cassação de Genoino por pelo menos mais uma semana. A manobra foi capitaneada pelos deputados André Vargas (PT-PR), vice-presidente da Câmara, e Antônio Carlos Biffi (PT-MS), que pediram vista do caso durante a reunião da Mesa Diretora. A estratégia dos petistas em protelar a abertura do processo tem o objetivo de tentar acelerar a confirmação da aposentadoria por invalidez de Genoino, o que o livraria da cassação e lhe garantiria um salário vitalício de deputado – hoje de 26 700 reais mensais.