Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Câmara tenta concluir votação da DRU nesta terça-feira

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) prorroga o dispositivo até 2015. Oposição critica intransigência do governo e manobra para protelar a sessão

Em clima de embate entre oposição e base aliada, a Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira o segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga até 2015 a Desvinculação das Receitas da União (DRU). O dispositivo permite que o governo gaste livremente 20% da arrecadação de tributos que, originalmente, deveriam estar vinculados a uma área específica, como a seguridade social. Leia também: Pressa do governo em prorrogar DRU cria desconfiança O texto já foi aprovado em primeiro turno na Câmara e também recebeu aval do Senado. A oposição iniciou um processo de obstrução da pauta, protestando contra a inflexibilidade do governo. Os partidos oposicionistas defendiam uma prorrogação por dois anos e não por quatro. Mas o Planalto insistiu e rejeitou uma proposta de acordo.

“Essa tem sido a prática do PT nos últimos oito anos: endividar o Brasil, gastar como lhe interessa e entregar a conta para a sociedade pagar”, criticou o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Os aliados dizem que a aprovação do texto é uma forma de prevenção aos efeitos da crise financeira internacional. Na sessão desta terça, os deputados já rejeitaram requerimentos que pediam o adiamento da votação.

Embora esteja em obstrução, o que pode levar a votação desta terça-feira noite adentro, a oposição cogita abrir mão da manobra desde que os governistas aceitem votar apenas o texto principal da proposta na sessão. Os destaques ficariam para quarta-feira.