Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após protestos, pedágio federal também não terá reajuste

Decisão ocorre três dias depois do cancelamento do aumento em rodovias paulistas; agência já havia adiado reajuste em ônibus interestaduais

Pressionado pelos protestos nas ruas, o Ministério dos Transportes decidiu suspender os reajustes dos pedágios em rodovias federais que estavam programados para as próximas semanas. O governo negocia com as concessionárias para que essa decisão não configure quebra de contrato. A medida ocorre três dias após o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ter anunciado que os pedágios paulistas não terão aumento neste ano.

A avaliação feita pelo ministro dos Transportes, César Borges, é de que não há clima para autorizar aumento nenhum. Por isso, ele optou por fortalecer trabalhos de revisão tarifária que já estavam em curso na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Na quarta-feira, a ANTT já havia anunciado o adiatamento do reajuste das tarifas de ônibus interestaduais e internacionais, que deveria ocorrer em 1.º de julho. Segundo a ANTT, o reajuste ficará suspenso até que as negociações em curso com as permissionárias sejam concluídas.

Nos bastidores do ministério, comenta-se que algum aumento poderá ser concedido mais adiante, quando os ânimos tiverem acalmado. Como alternativa, as empresas poderão receber compensações que garantam o equilíbrio econômico e financeiro dos contratos.

Leia também:

Haddad cancela licitação de transporte em São Paulo

(Com Estadão Conteúdo)