Tarja Steve Jobs e Apple

Memória

Rivais vencidas pela Apple se curvam à genialidade de Jobs

Sony, Nokia e Samsung perderam mercado (e muito dinheiro) com as inovações da adversária americana. Todas homenageiam Jobs, 'estrela guia da era digital'

Desde que Steve Jobs voltou à presidência da Apple e transformou a empresa numa concorrente quase imbatível, três das principais companhias de tecnologia do planeta sofreram muito - e perderam muito dinheiro - em função das ideias geniais do empresário americano, morto na noite de quarta-feira. A Sony, que transformou a forma como se ouve música ao inventar o Walkman, ficou para trás com o surgimento do iPod. A Nokia, gigante da telefonia celular, perdeu mercado para o iPhone. E a Samsung, concorrente da Apple nos segmentos de computadores, tablets e players de música digital, teve de investir pesado para não ficar muito atrás da rival. Momentos depois do anúncio da morte de Steve Jobs, essas três empresas se curvaram ao seu talento e influência, prestando homenagens ao homem que transformou o mercado em que elas atuam.

O presidente da Sony, Howard Stringer, admitiu claramente o tamanho do impacto de Jobs no setor: "A era digital perdeu sua estrela guia, mas a inovação e a criatividade de Steve seguirão inspirando sonhadores e pensadores durante gerações", afirmou. A Sony, que criou o Walkman em 1979, foi desbancada nesse segmento pelo iPod da Apple em 2001. Os dois grupos também são rivais nas áreas de computadores e telefones celulares. O executivo-chefe da finlandesa Nokia, Stephen Elop, também lamentou a morte de Jobs, a quem qualificou de "um autêntico visionário" da inovação tecnológica. "A paixão de Steve pela singeleza e elegância deixa a todos nós um legado que irá perdurar por gerações. Hoje, meus pensamentos e os de todos os que trabalham na Nokia estão com seus amigos e parentes", disse, em um breve comunicado.

Jobs revolucionou o mercado da telefonia celular em 2007, com o lançamento do primeiro modelo de iPhone, e em poucos anos transformou a Apple no principal rival da Nokia no segmento dos smartphones. Graças à crescente popularidade do iPhone, a companhia de Jobs tirou a Nokia do posto de maior fabricante mundial de smartphones no segundo trimestre deste ano, ao vender 20,3 milhões de aparelhos, 3,6 milhões mais que a gigante finlandesa, segundo a empresa de consultoria Strategy Analytics. Em 2009, Apple e Nokia travaram uma longa batalha legal sobre supostas violações de propriedade intelectual de ambos os lados. Jobs e Elop puseram fim à chamada "guerra das patentes" em junho deste ano, quando as duas companhias assinaram um acordo para retirar todos os processos mediante o pagamento de indenização da Apple à Nokia.

Outra empresa que briga nos tribunais com a Apple é a sul-coreana Samsung - e ela também se pronunciou sobre a morte de Jobs, num comunicado assinado por seu presidente, Choi Gee-sung. Ele destacou o espírito inovador de Jobs e transmitiu aos familiares e colegas de Jobs suas "mais profundas condolências". Referindo-se a ele como "presidente Steve Jobs", o comunicado lembra que o rival "introduziu numerosas mudanças revolucionárias na indústria da tecnologia e foi um grande empreendedor". A Samsung, cuja guerra sobre patentes com a Apple envolve cerca de 20 processos no mundo todo, destacou "o espírito inovador e suas enormes conquistas que sempre serão lembrados pelas pessoas no mundo todo". Apesar da rivalidade, as empresas fazem negócios juntas - a Samsung vende componentes para fabricar o iPhone e o iPad.

(Com agências France-Presse e EFE)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados