Mais Lidas

  1. Morre Umberto Magnani, o padre Romão de 'Velho Chico', aos 75 anos

    Entretenimento

    Morre Umberto Magnani, o padre Romão de 'Velho Chico', aos 75 anos

  2. Após críticas à delação premiada, Mariz é descartado por Temer para o Ministério da Justiça

    Brasil

    Após críticas à delação premiada, Mariz é descartado por Temer para...

  3. Venezuela: serviço público terá semana de apenas dois dias úteis

    Mundo

    Venezuela: serviço público terá semana de apenas dois dias úteis

  4. Linda, poderosa e ex-miss-bumbum: conheça a primeira-dama do Ministério do Turismo

    Brasil

    Linda, poderosa e ex-miss-bumbum: conheça a primeira-dama do...

  5. Comissão do impeachment aprova convite para ouvir ministros de Dilma

    Brasil

    Comissão do impeachment aprova convite para ouvir ministros de Dilma

  6. Temer avalia negociar presidência da Câmara com PSDB

    Brasil

    Temer avalia negociar presidência da Câmara com PSDB

  7. Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

    Brasil

    Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

  8. Contra o impeachment, MST bloqueia rodovias e promove invasões em oito estados

    Brasil

    Contra o impeachment, MST bloqueia rodovias e promove invasões em...

Vinho tinto pode controlar diabetes tipo 2

Uma taça da bebida ao dia poderia substituir medicação, mas especialistas alertam que o hábito de beber traria outros riscos

- Atualizado em

vinho tinto
(Martin Bernetti / AFP/VEJA)

A Universidade de Recursos Naturais e Ciências da Vida, em Viena, na Áustria, acaba de descobrir mais um dos benefícios que o vinho tinto pode trazer à saúde. Segundo Alois Jungbauer e sua equipe, uma taça ao dia da bebida pode manter a diabetes tipo 2 sob controle.

Isso acontece porque, conforme revelou o estudo da equipe, uma pequena taça de vinho contém a mesma quantidade de PPAR-gamma (substância ativa no controle dos níveis de açúcar no sangue) presente em uma dose de medicamento usado no tratamento da doença. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores compararam as quantidades da substância em doze tipos de vinho e concluíram que os tintos tinham mais PPAR-gamma que os demais. Então, eles analisaram os efeitos dessa substância nas células e determinaram que ela existia em proporções suficientes para competir com a droga Avandia.

Apesar da boa notícia, alguns aspectos devem ser considerados antes de uma adesão imediata à dose diária da bebida. A organização Diabetes UK, da Grã-Bretanha, por exemplo, reagiu ao estudo argumentando que vinho é muito calórico, o que pode levar ao aumento do peso e a conseguinte perda de todos os benefícios advindos das propriedades da bebida.

Os pesquisadores do estudo austríaco replicaram, dizendo que, ingerido com moderação e acompanhado de uma dieta de calorias, o vinho seria uma ótima alternativa à medicação. "'Moderação' quer dizer uma taça ao dia para mulheres e duas para os homens", explicou Jungbauer. "Nosso grande problema é pregar um estilo de vida saudável, porque vinho em excesso causa diabetes e obesidade", acrescenta.

Diabetes - A doença ocorre quando o pâncreas é incapaz de produzir insulina suficiente - hormônio que controla a quantidade de açúcar no corpo. Há também casos em que a insulina é produzida, mas não funciona adequadamente. Grandes quantidades de açúcar no sangue, por sua vez, podem levar a problemas cardíacos, cansaço, cegueira, danos nervosos, problemas nos rins e apoplexia.

TAGs:
Diabete
Tratamentos
Inglaterra