- Atualizado em

Câncer
De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2012 devem ser registrados mais de 52.000 novos casos da doença no Brasil(Brand X Pictures/Thinkstock/VEJA)

A mortalidade por câncer de mama está caindo nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. De acordo com um levantamento publicado no periódico brasileiro Clinics, editado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - FMUSP, são esses estados que têm mantido a média da mortalidade nacional estável nos últimos anos. Nos demais estados do país, os índices permanecem estáveis ou têm crescido.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Disparities in female breast cancer mortality rates in Brazil between 1980 and 2009

Onde foi divulgada: revista Clinics

Quem fez: Ruffo Freitas-Junior e equipe

Instituição: Universidade Federal de Goiás

Dados de amostragem: Dados sobre a mortalidade por câncer de mama disponíveis no DATASUS, do Ministério da Saúde

Resultado: Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul demonstram redução nos índices de mortalidade por câncer de mama. Essa queda está relacionada com a melhora no atendimento e na estrutura de saúde dessas regiões.

O estudo avaliou as variações nos índices de mortalidade entre 1980 e 2009. Coordenada pelo médico Ruffo Freitas-Junior, pesquisador da Universidade Federal de Goiás, o estudo aponta que no Rio Grande do Sul a redução da mortalidade segue uma média de 0,8% por 100.000 mulheres por ano desde 1993. Em São Paulo, a queda é de 1,9% por 100.000 mulheres ao ano e, no Rio de Janeiro, 0,6%. "Esses estados são os que apresentam uma saúde mais adequada, em relação ao número de mamógrafos e da estrutura de saúde", diz o médico.

Os demais estados brasileiros apresentam dados estáveis ou de aumento da mortalidade. De acordo com Ruffo, Brasília, no entanto, pode ser vista como um caso à parte. A cidade começa a reduzir suas taxas, mas em termos estatísticos essa redução ainda é vista como uma estabilização do número de mortes. "São dados recentes, mas em breve esses números poderão ser lidos como uma mudança positiva."

O estado com maior aumento na taxa de mortalidade é o Maranhão, com um aumento de 12% no índice que mede a mortalidade para cada 100.000 mulheres ao ano. A região Nordeste também registra alta taxa de mortalidade, mas, de acordo com o pesquisador, esse dado pode ser influenciado por mudanças na estrutura de saúde pública da região. Com a melhora do Sistema Único de Saúde (SUS), pacientes que antes iam se tratar no Centro Oeste ou mesmo no Sudeste, agora procuram atendimento na própria região.

*O conteúdo deste vídeo é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

TAGs:
Câncer
Ministério da Saúde