Mais Lidas

  1. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  2. TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

    Brasil

    TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

  3. Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína Paschoal

    Brasil

    Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína...

  4. Dois ministros devem deixar cargos para votar por Dilma no Senado

    Brasil

    Dois ministros devem deixar cargos para votar por Dilma no Senado

  5. O xadrez ministerial de Temer

    Brasil

    O xadrez ministerial de Temer

  6. Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de agredir esposa

    Brasil

    Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de...

  7. Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de denúncia na Câmara

    Brasil

    Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de...

  8. Ciclovia no Rio desabou porque só estava encaixada nos pilares, diz perícia do MP

    Brasil

    Ciclovia no Rio desabou porque só estava encaixada nos pilares, diz...

Sistema imune: nosso exército de defesa

Por: Natalia Cuminale - Atualizado em

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde lançou um alerta, advertindo para o risco de uma segunda onda de gripe A pelo mundo. Na visão da OMS, o vírus H1N1 poderia se alastrar desta vez a partir da Europa, devido à proximidade do inverno.

A preocupação, nessa situação, é dificultar a entrada do vírus no corpo ou aumentar o poder de combate do organismo ao agente invasor, uma vez que a doença costuma encontrar terreno fértil entre os portadores de doenças pré-existentes ou entre aqueles cuja saúde está de alguma forma debilitada. É aí que entra em cena a discussão acerca do sistema imunológico, ou seja, as defesas do organismo às agressões microscópicas.

Quando uma pessoa se sente cansada e contrai doenças ou infecções com certa frequência, o diagnóstico popular, proferido até por quem é leigo, é simples e direto: a imunidade está baixa. Mas, afinal, o que faz o sistema imunológico? Será que ele é mesmo capaz de evitar aqueles problemas? "Ele funciona como um exército, que utiliza diversas armas para combater um determinado microorganismo", explica Beatriz Carvalho, imunologista e chefe da disciplina alergia, imunologia clínica e reumatologia pediátrica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A especialista esclarece que um vírus, por exemplo, ao entrar em contato com o organismo, é reconhecido pelo sistema inato, que é a nossa primeira linha de defesa e responsável por resolver a maioria das infecções contraídas. Caso o vírus não seja eliminado em poucas horas, o organismo recruta a imunidade adaptativa, que é mais elaborada e específica. Nela, aparecem os linfócitos B, que produzem anticorpos para combater os vírus, e os linfócitos T, que são capazes de detectar e matar as células infectadas. Confira o funcionamento dos mecanismos de defesa no quadro a seguir:

A batalha das células

A batalha das células

Dois sistemas de defesa atuam na proteção e erradicação de ameaças microscópicas

Tabela
Tabela
Sistema imune inato: formado por células que não precisam ter mantido contato anterior com o microorganismo invasor para combatê-lo Sistema imune adaptativo: formado por células que só reconhecem o microorganismo invasor caso tenham mantido contato anterior com ele (é o caso das vacinas)
Proteção Proteção
Células do sistema imunológico liberam a proteína interferon, que não permite que o vírus invasor se multiplique, protegendo o organismo contra infecções Células dos glóbulos brancos que produzem anticorpos identificam o vírus ou a bactéria e neutralizam esses microorganismos com uma espécie de "capa"
Erradicação Erradicação
As células NK (natural killers, ou "exterminadoras naturais"), produzidas pela medula óssea, identificam outras células infectadas e liberam substâncias que as destroem Linfócito T, células dos glóbulos brancos que detectam outras células infectadas, liberam proteínas para destruir as contaminadas. Após o processo, as células mortas são recolhidas
Fonte: Beatriz Carvalho, imunologista e chefe da disciplina Alergia, Imunologia Clínica e Reumatologia pediátrica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Sintomas como febre, diarreia, aumento no tamanho dos gânglios, tosse e espirro, entre outros, mostram que o sistema imune está reagindo contra algum mal. São mecanismos de defesa. "Se você come um alimento estragado, por exemplo, você tem uma reação inflamatória dentro do intestino: ele reage com uma diarréia para eliminar o mais rápido possível aquela coisa ruim", explica a imunologista.

Entre as razões para o enfraquecimento do sistema imunológico, estão os problemas congênitos, desnutrição grave, stress, noites mal dormidas, má alimentação, exercícios físicos em excesso e uso de drogas imunossupressoras. Pessoas que lutam contra o câncer e portadoras do vírus HIV também podem ser vítimas. "É importante se alimentar direito, já que muitas células precisam de nutrientes como zinco e vitaminas para terem um bom desenvolvimento", diz.

Para pessoas sadias, as recomendações são básicas: manter uma alimentação saudável, dormir ao menos oito horas por noite e praticar exercícios físicos. "Todas as coisas que fazem bem para o corpo fazem bem para o sistema imune", sintetiza Luiz Vicente Rizzo, imunologista e diretor-superintendente do Instituto Israelita de Pesquisa Albert Einstein.

TAGs:
Gripe