Gripe A

Estou gripado. É a gripe A?

Natalia Cuminale
senhorasuina300.jpg

(Getty)

Na última semana, o número de pessoas infectados com a gripe A cresceu de forma assustadora no Brasil: de 74 para 399 casos, segundo o Ministério da Saúde. E a tendência, segundo especialistas, é que a quantidade aumente ainda mais nas próximas semanas, com a ajuda do inverno e da proliferação de casos. Os médicos, porém, são categóricos ao afirmar que a população não precisa entrar em pânico. Ainda assim, permanecem algumas dúvidas: como diferenciar uma gripe comum da suína? Quando procurar um médico? A gripe pode ser fatal? Para esclarecer essas e outras questões, VEJA.com ouviu os infectologistas Davi Lewi, do Hospital Israelita Albert Einstein, e David Uip, diretor do Hospital Emílio Ribas, ambos de São Paulo. Confira as informações a seguir. 

Como saber se contraí uma gripe (A ou não) ou apenas um resfriado?
A gripe se manifesta de uma hora para outra e apresenta sintomas mais severos. De repente, a pessoa infectada começa a sentir dores pelo corpo, especialmente no abdômen e nas articulações, tremores, frio intenso e febre acima de 38° C, além de apresentar tosse seca e um expelir um pouco de catarro. Os sintomas em geral duram entre 5 e 7 dias.

Diante dos sintomas da gripe, como diferenciar a suína da gripe comum?
Não é possível diferenciar a gripe suína da gripe comum sem a realização de um exame laboratorial. Há, porém, uma situação que pode sugerir o diagnóstico: quando os sintomas clássicos da gripe (descritos acima) vêm acompanhados da falta de ar. Esse quadro não é determinante, mas pode caracterizar a gripe suína.

Estou gripado, mas ainda não tenho diagnóstico: devo procurar um médico?
Deve-se recorrer à ajuda médica somente em dois casos:

- se você faz parte do grupo de risco: pessoas idosas, crianças menores de dois anos, grávidas, doentes crônicos e pacientes em tratamento de câncer

- se os sintomas da gripe são muito exuberantes e não cedem após um ou dois dias. Exemplos: febre alta que vai e volta com muita frequência ou falta de ar severa

E se eu não me encaixar nesses perfis?
Os médicos recomendam que as pessoas fiquem em repouso absoluto por um período entre 5 e 7 dias: não saiam de casa, não vão à escola nem ao trabalho, já que a capacidade de contágio é alta. Indica-se também o uso de medicamentos para curar os sintomas adequados, ou seja, antitérmico se houver febre, analgésico se houver dor, e assim por diante. Vale lembrar que os chamados antigripais de nada adiantam para curar a gripe suína. É importante alimentar-se e dormir bem. 

Como é o exame da gripe suína? Posso fazer por conta própria?
Primeiro, a pessoa precisa fazer um teste chamado swab nasal, que diagnostica os vírus respiratórios. Se o resultado for positivo para influenza A, é preciso fazer um segundo teste, que fica pronto em 72 horas. Não é possível fazer o exame por conta própria, mas apenas sob pedido de médicos.

Se estou de fato com a gripe suína, corro risco de morte?
De fato, a gripe suína pode levar à morte. Mas sua letalidade é baixa, de apenas 0,4%. 

Depois de tomar o remédio contra a gripe súína, a melhora é imediata?
Não. Após tomar o medicamento tamiflu, há uma aceleração no processo de cura. Quem passaria por uma recuperação de dez dias, sente-se melhor em três, por exemplo.

Por quê?
A droga inativa uma membrana externa do vírus, que para de se reproduzir. Isso abrevia o ciclo da gripe.

Se eu tiver mesmo a gripe suína, devo me afastar das demais pessoas?
Não há como obrigar um paciente a se afastar da própria família. Mas recomenda-se evitar contato com a população em geral. Deve-se também tomar alguns cuidados: colocar um lenço diante da boca na hora de tossir, lavar bem as mãos e evitar contato com as mucosas.

Daqui em diante, teremos de usar máscaras para evitar contágios?
Não. A máscara só precisa ser utilizada pelo individuo que já está doente.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados