Mais Lidas

  1. José de Abreu: "Não posso me arrepender"

    Entretenimento

    José de Abreu: "Não posso me arrepender"

  2. Temer descarta recriação da CPMF e aumento de impostos se assumir

    Brasil

    Temer descarta recriação da CPMF e aumento de impostos se assumir

  3. Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

    Brasil

    Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

  4. Brasil

    Grupos pró e contra o impeachment entram em confronto na Avenida...

  5. Dilma se reúne com Cardozo e Giles no Palácio da Alvorada

    Brasil

    Dilma se reúne com Cardozo e Giles no Palácio da Alvorada

  6. Lula: O mito estraçalhado

    Brasil

    Lula: O mito estraçalhado

  7. Com 99,7% das urnas apuradas, Bolívia rejeita quarto mandato de Evo Morales

    Mundo

    Com 99,7% das urnas apuradas, Bolívia rejeita quarto mandato de Evo...

  8. Sem dinheiro, Estados cortam 47% dos investimentos no primeiro bimestre

    Economia

    Sem dinheiro, Estados cortam 47% dos investimentos no primeiro...

Déficit de atenção: 8 sinais aos quais os pais devem ficar atentos

Por: Aretha Yarak - Atualizado em

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é uma doença cercada de controvérsia. Por atingir principalmente crianças, muito pais enxergam problemas onde eles não existem - sintomas isolados são comuns nesta fase da vida. Também há quem não preste atenção ao conjunto de sintomas que a caracterizam: quadros de desatenção, hiperatividade e impulsividade de maneira exacerbada.

Há um grande número de crianças com a doença, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo dados da Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA), cerca de 3% a 5% das crianças brasileiras sofrem de TDAH, das quais de 60% a 85% permanecem com o transtorno na adolescência.

É preciso enfrentá-la cedo. Quando não diagnosticada e tratada, pode trazer sérios prejuízos a curto e longo prazo. Em crianças, é comum a queda no rendimento escolar, por causa de desorganização, da falta de paciência para assistir às aulas e estudar. Na fase adulta, o problema pode ser a causa de uma severa baixa auto-estima, além de afetar os relacionamentos interpessoais, uma vez que a pessoa tem dificuldades em se ajustar a horários e compromissos e, frequentemente, não consegue prestar atenção no parceiro.

Confira abaixo oito desses sintomas que, quando aparecem com freqüência e em mais de um ambiente (escola e casa, por exemplo), podem servir como um alerta de que chegou a hora de procurar ajuda profissional.

* Fontes: Maria Conceição do Rosário, psiquiatra e professora do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Child Study Center, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, e Thiago Strahler Rivero, psicólogo do Departamento de Psicobiologia do Centro Paulista de Neuropsicologia da Unifesp