Mais Lidas

  1. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  4. Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

    Brasil

    Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

  5. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  6. Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

    Mundo

    Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

  7. Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

    Brasil

    Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

  8. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

Síria colocou minas terrestres nas fronteiras, diz ONG

Regime de Assad instalou os explosivos nas vias mais usadas pelos refugiados

- Atualizado em

Síria: protestos e violência extrema não têm fim
Síria: protestos e violência extrema não têm fim(Nikolay Doychinov/AFP/VEJA)

A ditadura síria instalou minas terrestres junto a suas fronteiras com o Líbano e a Turquia, revelou nesta terça-feira a ONG Human Rights Watch (HRW). As áreas fronteiriças são as principais vias utilizadas pelos refugiados sírios para escapar da repressão do regime de Bashar Assad.

As minas, que já deixaram vários civis feridos, foram colocadas nas últimas semanas, segundo um comunicado divulgado pela organização de direitos humanos, que cita diversas testemunhas e especialistas sírios em desarmamento de explosivos. Este tipo de armamento, afirma a ONG em seu site, é "militarmente ineficaz" e "mata e fere civis" em sua maioria.

Vítimas - Mais de 7,5 mil pessoas, muitas delas mulheres e crianças, morreram na Síria desde o início das revoltas contra o regime de Bashar al-Assad, há um ano. Segundo a HRW, as minas, de origem russa, devem ser desinstaladas por especialistas em colaboração com a oposição.

"Qualquer uso de minas é imoral e injusto", afirma Steve Goose, diretor da divisão de armamento da HRW. Para o especialista, é "injustificável o uso indiscriminado destas armas por qualquer país, em qualquer lugar e sob qualquer motivo".

(Com agência EFE)

TAGs:
Bashar Assad
Líbano
Síria
Turquia
Direitos Humanos