Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de fora

    Esporte

    Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de...

  3. PGR pede para incluir Lula e cúpulas do PT e PMDB em inquérito sobre quadrilha do petrolão

    Brasil

    PGR pede para incluir Lula e cúpulas do PT e PMDB em inquérito...

  4. Lavenère faz discurso do medo e diz que impeachment é ‘pena de morte’ de Dilma e de programas sociais

    Brasil

    Lavenère faz discurso do medo e diz que impeachment é ‘pena de...

  5. Aécio fala em 'receio' de que ministério de Temer se pareça com o de Dilma

    Brasil

    Aécio fala em 'receio' de que ministério de Temer se pareça com o...

  6. Johnson & Johnson terá que pagar US$ 55 milhões para cliente vítima de câncer

    Economia

    Johnson & Johnson terá que pagar US$ 55 milhões para cliente vítima...

  7. Justiça de Sergipe suspende bloqueio do WhatsApp no Brasil

    Vida Digital

    Justiça de Sergipe suspende bloqueio do WhatsApp no Brasil

  8. Dilma e o fogo olímpico: a imagem de um mandato em chamas

    Brasil

    Dilma e o fogo olímpico: a imagem de um mandato em chamas

Sarkozy descarta permitir casamento gay se for reeleito

Presidente francês diz que é preciso buscar 'outras fórmulas' para a união

- Atualizado em

"Para mim, uma família é composta por um pai e uma mãe, não dois pais ou duas mães", afirmou Sarkozy
"Para mim, uma família é composta por um pai e uma mãe, não dois pais ou duas mães", afirmou Sarkozy (Philippe Wojazer / Reuters/VEJA)

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse nesta terça-feira que se for reeleito não reformará a legislação para permitir o casamento homossexual, e que é preciso buscar 'outras fórmulas' para a união de dois homens ou de duas mulheres. Apesar da declaração, o presidente, candidato nas eleições presidenciais da França que acontecem neste mês, afirmou que detesta a homofobia, e lembrou que o deputado Christian Vaneste foi excluído de seu partido em fevereiro por vários pronunciamentos contra os homossexuais, e em particular por ter negado que houve deportações no tempo dos nazistas.

Leia também:

Leia também: 'Sistema eleitoral francês é muito complicado', diz ex-premiê

"Para mim, uma família é composta por um pai e uma mãe, não dois pais ou duas mães", afirmou Sarkozy em entrevista à emissora de rádio France Inter, dedicada à campanha para as eleições presidenciais, cujo primeiro turno acontecerá no próximo domingo, e o segundo, em 6 de maio.

Sarkozy disse que os casais homossexuais 'precisam encontrar outra instituição diferente do casamento'. "Para ter um filho, é preciso um homem e uma mulher, embora isso não queira dizer que um casal homossexual não possa cuidar bem de uma criança", disse.

Família - As declarações de Sarkozy sobre família coincidem com o dia em que ele se torna avô pela segunda vez, seis meses depois do nascimento de seu quarto filho. A nova integrante da família é uma menina, que se chama Lola e é fruto do casamento de Jean Sarkozy e Jessica Sebaoun-Darty.

Jean, de 25 anos, é o segundo filho do presidente francês, e já era pai do pequeno Solal, que nasceu em janeiro de 2010. Lola Sarkozy é seis meses mais nova que sua tia Giulia, que nasceu em outubro e é a primeira filha da união matrimonial do presidente francês com Carla Bruni. Além de Lola e Jean, Sarkozy é pai de Pierre, de seu primeiro casamento, e Louis, do segundo.

(Com agência EFE)

TAGs:
França
Nicolas Sarkozy
Casamento