Estados Unidos

Crime em Cleveland

Sequestrada por 10 anos diz que engravidou cinco vezes

Michelle Knight passou fome e foi espancada até abortar todas as vezes

  • Casa que Ariel Castro fez de cativeiro em Cleveland é demolida

    Getty Images/AFP

  • Casa que Ariel Castro fez de cativeiro em Cleveland é demolida

    Angelo Merendino/Getty Images/AFP

  • Um dos quartos da casa de Ariel Castro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Porão onde as mulheres eram mantidas presas

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Um dos cômodos da casa de Ariel Castro, que mantinha 3 mulheres presas em um cativeiro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Corrente e adeados utilizados para prender as mulheres no cativeiro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Porão da casa de Ariel Castro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Escada de acesso ao porão na casa de Ariel Castro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Cadeados utilizados para prender as mulheres no cativeiro

    Cuyahoga County Prosecutor's Office/Reuters

  • Ariel Castro prestando juramento em Cleveland, Ohio

    Angelo Merendino/AFP

  • O americano de origem porto-riquenha Ariel Castro compareceu nesta quinta-feira (01) no tribunal de Cleveland para enfrentar acusações de estupro e sequestro de três mulheres mantidas em cativeiro em sua residência durante uma década

    Tony Dejak/AP

  • Michelle Knight, um das três mulheres mantidas em cativeiro por Ariel Castro faz pausa para enxugar as lágrimas durante julgamento de sequestrador, na corte de Cleveland nesta quinta-feira (01)

    Aaron Josefczyk/Reuters

  • Maquete da casa onde Ariel Castro manteve em cativeiro três mulheres por quase 10 anos em Cleveland, nos EUA, foi apresentada nesta quinta-feira (01)

    Tony Dejak/AP

  • O americano de origem porto-riquenha Ariel Castro compareceu nesta quinta-feira (01) no tribunal de Cleveland para enfrentar acusações de estupro e sequestro de três mulheres mantidas em cativeiro em sua residência durante uma década

    Tony Dejak/AP

  • O americano de origem porto-riquenha Ariel Castro compareceu nesta quinta-feira (01) no tribunal de Cleveland para enfrentar acusações de estupro e sequestro de três mulheres mantidas em cativeiro em sua residência durante uma década

    Tony Dejak/AP

  • Ariel Castro, de 53 anos, condenado a prisão perpétua sem liberdade condicional, em Cleveland, Ohio

    Reuters

  • Ariel Castro, de 53 anos, condenado a prisão perpétua sem liberdade condicional, em Cleveland, Ohio

    Reuters

  • Ariel Castro, de 53 anos, em julgamento audiência por acusações que incluem estupro, seqüestro e assassinato, em Cleveland, Ohio

    Aaron Josefczyk/Reuters

  • Amanda Berry fala em um vídeo para expressar gratidão ao povo de Cleveland e em todo o mundo que ofereceram apoio a ela

    Hennes Paynter/Reuters

  • Gina DeJesus fala em um vídeo para expressar gratidão ao povo de Cleveland e em todo o mundo que ofereceram apoio a ela

    Hennes Paynter/Reuters

  • Michelle Knight fala em um vídeo para expressar gratidão ao povo de Cleveland e em todo o mundo que ofereceram apoio a ela

    Hennes Paynter/Reuters

  • Ariel Castro, acusado por sequestro e estupro das três mulheres, no tribunal em Ohio, Estados Unidos

    John Gress/Reuters

  • Ariel Castro em tribunal de Ohio

    Matt Sullivan/AFP

  • Ariel Castro, Pedro Castro e Onil Castro no tribunal de Cleveland, Ohio. Os irmãos são acusados de sequestrarem três meninas, nos Estados Unidos

    John Gress/Reuters

  • A casa da família de Gina, uma das três mulheres mantidas em cativeiro durante 10 anos

    Emmanuel Dunand/AFP

  • Os irmãos Ariel, Onil e Pedro Castro, foram presos acusados de sequestrarem três meninas em Cleveland, nos Estados Unidos

    Divulgação

  • Amanda Berry e  Gina DeJesus desaparecidas a cerca de 10 anos, foram encontradas nesta terça-feira (7) em Cleveland, nos Estados Unidos

    Divulgação

  • Vizinho Charles Ramsey que encontrou as três meninas desaparecidas a quase 10 anos fala com repórteres

    Scott Shaw/AP

  • Homenagens são prestadas às meninas encontradas em Cleveland, no Estados Unidos

    Tony Dejak/AP

  • Polícia mantêm casa onde as três meninas foram encontradas, isolada do público

    Bill Pugliano/Getty Images

  • Amanda Berry (ao centro), uma das três mulheres sequestradas há ao menos uma década e resgatadas nesta terça-feira (7), se reúne com sua irmã (à esquerda) em Cleveland, Ohio

    AFP

  • Casa onde três mulheres que tinham desaparecido quando adolescentes há aproximadamente dez anos, e foram encontradas nesta terça (07), em Cleveland, Ohio

    Bill Pugliano/Getty Images

  • Casa onde três mulheres que tinham desaparecido quando adolescentes há aproximadamente dez anos, e foram encontradas nesta terça em Cleveland, Ohio

    Bill Pugliano/Getty Images

  • Casa onde três mulheres que tinham desaparecido quando adolescentes há aproximadamente dez anos, e foram encontradas nesta terça em Cleveland, Ohio

    Bill Pugliano/Getty Images/AFP

  • Polícia mantêm casa onde as três meninas foram encontradas, isolada do público

    Tony Dejak/AP

  • Agentes do FBI recolhem evidências da casa onde três mulheres que tinham desaparecido quando adolescentes há aproximadamente dez anos, e foram encontradas nesta terça (07), em Cleveland, Ohio

    Bill Pugliano/Getty Images

  • Agentes do FBI recolhem evidências da casa onde três mulheres que tinham desaparecido quando adolescentes há aproximadamente dez anos, e foram encontradas nesta terça, em Cleveland, Ohio

    Emmanuel Dunand/AFP

Foto 0 / 37

Ampliar Fotos

Uma das três mulheres que foram mantidas reféns em Cleveland (Estados Unidos) disse que engravidou ao menos cinco vezes nos 10 anos de cativeiro, mas que passou fome e foi tão espancada que acabou abortando todas as vezes, informou nesta quinta-feira a rede CNN, com base em um informe policial a que teve acesso.

Michelle Knight disse aos policiais que toda vez em que Ariel Castro, o sequestrador, descobria que ela estava grávida, forçava-a a abortar o bebê. “Ele me fez passar fome por ao menos duas semanas e depois me golpeou no estômago até eu abortar”, contou Michelle.

Leia também:
Polícia acha correntes em cativeiro de raptadas nos EUA
Visitas da polícia a cativeiro levantam suspeitas nos EUA
Vizinho que ajudou sequestrada vira herói na internet


A situação foi diferente com Amanda Berry, a sequestrada que pediu socorro e conseguiu ligar para a polícia, libertando as três mulheres na noite de segunda-feira. Amanda não foi forçada a abortar, e Michelle foi incumbida por Castro de Realizar o parto, que aconteceu em uma piscina de plástico para conter o líquido amniótico. Porém, logo depois o bebê parou de respirar e os moradores da casa entraram em pânico e começaram a gritar. Castro ameaçou matar Michelle se o bebê não sobrevivesse, o que não aconteceu. O bebê cresceu e se tornou a criança saudável de seis anos que estava nos braços de Amanda quando ela conseguiu fugir.

Castro deve comparecer à justiça pela primeira vez nesta quinta-feira para responder a acusações de sequestro e estupro. Enquanto isso, cada vez mais detalhes sobre a tortura que ele impunha às vítimas começam a surgir na imprensa americana.

Cativeiro -
Michelle, Amanda e Georgina DeJesus viveram 10 anos em uma casa de dois andares e oito quartos em um bairro latino de Cleveland. Elas só saíram da casa duas vezes, e por pouco tempo. Segundo depoimentos das vítimas, Castro em um primeiro momento acorrentou-as no porão, mas depois deixou que elas vivessem no segundo andar, em quartos separados. Apesar de viver separadamente, elas ocasionalmente se encontravam e dependiam uma das outras para sobreviver.

Segundo uma fonte policial consultada pela CNN, o sequestrador sempre testava as mulheres fingindo que havia deixado a casa. Então, ele voltava inesperadamente e, se alguma das reféns havia se movido, ele as "disciplinava”. Nessa época, elas assistiam às suas famílias pedindo ajuda para encontrá-las na televisão e se emocionavam. Depois, elas acabaram “sucumbindo à sua realidade”.

Sequestros com finais extraordinários

1 de 6

Amanda Berry, Michelle Knight e Gina DeJesus (EUA)

Amanda Berry, sequestrada há dez anos, quando tinha apenas 16 anos de idade, encerrou o pesadelo dela e de outras duas mulheres, Gina DeJesus e Michelle Knight, ao colocar o braço em um buraco na porta principal da casa que era usada como cativeiro e pedir ajuda. Um vizinho a ajudou a sair e ela ligou para a polícia para pedir ajuda. Amanda saiu da casa com uma garota de 6 anos, que, segundo a polícia, é filha de um dos sequestradores. Além dela, também foram libertadas outras duas mulheres, Gina DeJesus, que tinha 14 anos quando sumiu em 2004, e Michele Knight, que tinha sido vista pela última vez em 2002, aos 21 anos.

Ariel Castro, de 52 anos, recebeu 329 acusações por sequestro, estupro e homicídio qualificado pelos abortos a que submeteu uma das reféns. Ele se declarou inocente. Se considerado culpado por homicído, pode ser condenado à morte.
 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados