Diplomacia

Enviado do Japão vai à China tentar aliviar tensão por ilhas

Vice-ministro das Relações Exteriores japonês chega a Pequim na pior fase do conflito diplomático por soberania no arquipélago de Senkaku/Diaoyu

Manifestante protesta em frente ao Consulado do Japão em Xangai para exigir devolução das ilhas Diaoyu/Senkaku

Manifestante protesta em frente ao Consulado do Japão em Xangai para exigir devolução das ilhas Diaoyu/Senkaku (Carlos Barria/Reuters)

O vice-ministro das Relações Exteriores do Japão, Chikao Kawai, viaja nesta segunda-feira à China para uma visita de dois dias destinada a aliviar a tensão bilateral causada pela disputa territorial sobre as ilhas Senkaku – chamadas de Diaoyu pelos chineses. Na última semana, o conflito diplomático pela soberania do pequeno arquipélago situado no Mar da China Oriental motivou uma onda de protestos antijaponeses na China.

Leia mais:
Vice chinês chama de 'farsa' compra de ilhas por Japão
Por que oito ilhotas opõem China e Japão

Nesta terça-feira, está previsto que Kawai se reúna com um alto funcionário do Ministério das Relações Exteriores chinês para abordar a deterioração das relações entre ambos os países. A viagem ocorre pouco depois que o próprio Kawai transmitiu por telefone um protesto ao embaixador da China no Japão, Cheng Yonghua, pela "intrusão territorial" de barcos patrulheiros chineses em águas das ilhas em disputa.

Por causa do conflito sobre as ilhas, as relações entre as duas maiores economias da Ásia atravessam sua pior fase das últimas décadas. Os dois países mobilizaram forças navais em torno das Senkaku/Diaoyu. As hostilidades começaram quando o governo do Japão decidiu nacionalizar três das oito ilhas desabitadas, que estavam em mãos de um proprietário japonês, depois que o governador nacionalista de Tóquio, Shintaro Ishihara, ameaçou adquiri-las – o que poderia motivar uma crise ainda maior (leia mais no quadro abaixo).  A decisão causou uma série de protestos na China, com empresas japonesas sendo obrigadas a fechar centenas de lojas e fábricas no país. 

Entenda como ilhotas colocaram a China contra o Japão

A soberania de oito ilhas rochosas provocou crise diplomática entre dois fortes parceiros comerciais e desatou uma onda de protestos anti-Japão em cidades chinesas.

1 de 8

Qual é o contexto histórico da disputa?

Barco japonês navega na região das ilhas Senkaku, disputadas por Japão, China e Taiwan

A disputa pelas ilhas data de 1895. Segundo o Japão, nessa época a China cedeu o território ao perder a guerra sino-japonesa. A China diz que o Japão tomou ilegalmente o território ao forçar a dinastia Qing a assinar o Tratado de Shimonoseki. Durante a II Guerra Mundial, os Estados Unidos administraram as ilhas, mas as devolveram ao Japão em seguida. A China diz ter recuperado a soberania das ilhas após o conflito com a Proclamação de Potsdam, de 1945, mas o Japão diz que elas não estavam incluídas em um acordo posterior, o Tratado de Paz de San Francisco, de 1951. Em 1971, tanto China como Taiwan declararam soberania sobre as ilhas e, desde então, a questão virou um entrave diplomático.

 

VEJA

Ilhas são disputadas por China e Japão devido à riqueza natural

Ilhas são disputadas por China e Japão devido à riqueza natural

(Com agência EFE)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados