Tarja Séries TV

Televisão

Morena Baccarin, a brasileira de 'Homeland', recusou convite para fazer novela

Atriz radicada nos Estados Unidos vem ao país divulgar série do canal FX e diz que não assiste a novelas, mas deixa portas abertas para carreira no Brasil

Mariana Zylberkan
A atriz Morena Baccarin está no Brasil para divulgar a série Homeland

A atriz Morena Baccarin está no Brasil para divulgar a série Homeland (Divulgação/Ricardo Reis/VEJA)

Radicada há 25 anos nos Estados Unidos, a atriz Morena Baccarin, a brasileira da série americana Homeland, fala português com um leve sotaque carioca. A falha no vocabulário e a dificuldade de lembrar a pronúncia de algumas palavras, porém, denunciam o distanciamento da atriz em relação ao seu país de origem. “Eu me sinto metade americana e metade brasileira. Quando chego aqui, alguma coisa acorda dentro de mim”, disse Morena durante entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira, em São Paulo, onde ela divulgou a série que estrela no canal pago FX.

LEIA TAMBÉM: 3 perguntas para Morena Baccarin, a brasileira que faz sucesso em Homeland

Foi a metade americana da atriz que falou mais alto recentemente, quando ela foi sondada pela TV Globo para atuar em uma de suas novelas. “Adoraria fazer TV no Brasil, mas ainda não deu certo. Novela exige nove meses de trabalho e eu não consegui conciliar esse tempo com meus outros compromissos. Tenho certeza de que um dia vai dar certo”, disse Morena numa clara tentativa de não fechar totalmente as portas de uma possível carreira no Brasil. 

Apesar da resposta polida, Morena deixou bem claro que novela não é um grande objetivo em sua vida. “Não vejo novelas. Vim para o Brasil curtir o Carnaval com a minha família em Angra e Paraty. Não ia parar para assistir novela.”

Mesmo assim, sua metade brasileira também faz parte de sua vida e lhe ajuda, por exemplo, a manter o português em dia e ver com distanciamento o impacto que os ataques terroristas de 11 de Setembro tiveram na cultura americana. “Eu estava em Nova York quando derrubaram as torres gêmeas. Acho que os ataques serviram para os americanos acordarem e verem que não são imunes a tudo. Eles não são super-heróis. Além disso, sinto que as pessoas também ficaram mais unidas”, diz Morena, 32 anos.

O episódio que abalou os Estados Unidos é pano de fundo para Homeland, série que estreia no Brasil neste domingo, no canal a cabo FX, às 22h. Na trama, Morena interpreta Jessica, mulher de um militar americano que desaparece durante uma missão no Afeganistão. Oito anos depois, o sargento Nicholas Brody (Damian Lewis), prisioneiro da Al Qaeda, é encontrado por oficiais americanos e volta para casa.

O sargento Brody se torna alvo das investigações de Carrie Mathison (Claire Danes), agente da CIA. Carrie desconfia de que o homem apontado como herói nacional, na verdade, mudou de lado e se tornou um membro da Al Qaeda infiltrado nos Estados Unidos.

A dona de casa recatada interpretada por Morena no seriado é bem diferente das personagens que ela viveu na TV a cabo americana, a maioria ligada ao universo da ficção científica. Ela foi uma cortesã de luxo na série Firefly e uma alienígena em Stargate SG-1. A atriz conquistou maior destaque como a vilã extraterrestre Anna no seriado V.

Ao que tudo indica, Morena quer deixar para trás os papéis de outro mundo. Neste ano, Morena estreia no cinema com o filme Old Days, uma comédia romântica bem açucarada que conta a história de amor entre um ator, vivido por Michael Rosembaum, e sua namorada de adolescência, personagem de Morena. “Pular de um personagem para outro é o que mais me dá prazer em ser atriz.”

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados