Mais Lidas

  1. Comissão no Senado se reúne para votar parecer pró-impeachment. Acompanhe ao vivo

    Brasil

    Comissão no Senado se reúne para votar parecer pró-impeachment....

  2. Na casa de Cunha, clima de velório após afastamento

    Brasil

    Na casa de Cunha, clima de velório após afastamento

  3. Câmara questiona Lula e Dilma por discursos sobre 'golpe'

    Brasil

    Câmara questiona Lula e Dilma por discursos sobre 'golpe'

  4. Após 2 mil anos, China encerrará monopólio sobre o sal

    Economia

    Após 2 mil anos, China encerrará monopólio sobre o sal

  5. Bateria que dura 'a vida toda' pode estar a caminho, afirmam cientistas

    Ciência

    Bateria que dura 'a vida toda' pode estar a caminho, afirmam...

  6. Comissão do impeachment aprova parecer e abre caminho para afastamento de Dilma

    Brasil

    Comissão do impeachment aprova parecer e abre caminho para...

  7. PM faz reintegração de posse no Centro Paula Souza

    Brasil

    PM faz reintegração de posse no Centro Paula Souza

  8. PM prende cinco jovens por suspeita de furto de equipamentos do Centro Paula Souza

    Brasil

    PM prende cinco jovens por suspeita de furto de equipamentos do...

Apuração do desfile de SP é interrompida após confusão

Torcedores invadem área de organização e rasgam cédulas. Do lado de fora do Sambódromo, tentam depredar áreas próximas ao Anhembi

- Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


A apuração do desfile das escolas de samba de São Paulo, realizada no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital, foi interrompida por volta das 17h35 depois que torcedores invadiram a área de organização (onde era feita a leitura das notas), rasgaram cédulas de votação dos jurados e provocaram correria e muita confusão. A Polícia Militar interveio e expulsou parte das torcidas do Anhembi.

Segundo imagens da TV, o primeiro a invadir a área reservada à organização da apuração foi um membro da Império da Casa Verde. Após saltar sobre cavaletes de proteção e pegar as cédulas, correu em fuga, colocando as cédulas dentro da calça. Em seguida, integrantes e torcedores de outras agremiações também invadiram a área: alguns lançavam as cédulas dos jurados para o alto.

Autores - O primeiro invasor já foi identificado. Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Deatur, ele é Tiago Ciro Tadeu Faria, de 29 anos, da Império da Casa Verde. Ele estava na área reservada a diretores das escolas e aproveitou um momento em que os policiais tentavam controlar membros exaltados que empurravam as grades de proteção para invadir. Outro detido na confusão é da Gaviões da Fiel: Cauê Santos Ferreira, de 20 anos.

Crimes - Segundo o advogado Romualdo Calvo Filho, presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, Faria deve ser enquadrado por furto, crime com pena de um a quatro anos, além de multa. O fato de ele ter rasgado as cédulas com as notas que faltavam ser lidas na apuração e de sua ação ter contribuído para a confusão que se instalou no Sambódromo, com briga e tumulto, não representa um agravante. O ato pode, no entanto, influenciar a decisão do juiz que determinará a extensão da pena. "O Carnaval é um evento de grande projeção. Uma festa popular, folclórica, acompanhada por todos os brasileiros, que ele estorvou", diz Calvo Filho.

De acordo com o delegado Nico Gonçalves, Tiago será enquadrado por supressão de documento. No Código Penal, a infração pode implicar pena de dois a seis anos, com multa, se o documento for considerado público. O outro preso nesta terça-feira, Cauê Santos Ferreira, torcedor da Gaviões, deve ser autuado por danos ao patrimônio público. Os dois estão presos e vão passar a noite na delegacia do próprio Anhembi. "Não sei o juiz vai soltá-los amanhã, mas eles dormirão na cadeia", afirma o delegado.

Confusão - Do lado de fora do Sambódromo, a confusão continuou por algumas horas. Dispersos pela pista local da Marginal Tietê, ao lado do Sambódromo, torcedores da Gaviões da Fiel colocaram cavaletes na pista. Eles também tentaram depredar a proteção de metal que serve de muro para o estacionamento do Anhembi, onde estão estacionados os carros alegóricos das escolas de samba. Uma das alegorias pegou fogo. Integrantes da escola de samba Pérola Negra afirmam que a estrutura lhes pertencia e que o ato de vandalismo teria sido feito por membros da Gaviões. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, três viaturas foram enviadas para o local e o incêncio foi controlado.

Apesar da confusão, o presidente da Liga das Escolas de Samba de São Paulo, Paulo Sérgio Ferreira, afirmou que a apuração continuaria de onde parou. No momento em que a confusão teve início, era feita a leitura do último quesito da avaliação do desfile: comissão de frente. A Mocidade Alegre liderava, com 170 pontos. Se recebesse mais uma nota máxima, conquistaria o título.

Se comprovada a participação de representantes das escolas na confusão, o episódio pode, em tese, terminar em penalidade para as agremiações. De acordo com o regulamento dos desfiles do grupo especial: "Comportamento inadequado por parte de qualquer Dirigente ou Representante da Escola de Samba, devidamente identificado, na concentração, dispersão, durante o desfile ou na apuração, no sentido de pressionar, ameaçar ou agredir a integridade física ou moral de algum membro da organização, LIGA, comissões, jurados, componentes da própria ou de outra agremiação, ou, ainda, os prepostos e empregados da São Paulo Turismo. No caso de comprovação de tal comportamento, a Escola de Samba será sumariamente eliminada do concurso, com a consequente desfiliação, bem como, conforme o caso sofrerá, ainda, as sanções previstas no Estatuto Social."

TAGs:
Carnaval