Paleontologia

População de neandertais já era instável mesmo antes de humanos surgirem

Pesquisa sugere que os 'Homo neanderthalensis' estiveram à beira da extinção muito antes do aparecimento dos 'Homo sapiens'

Rolf Quam

Cientistas analisaram sequências do DNA de 13 indivíduos neandertais

Cientistas analisaram sequências do DNA de 13 indivíduos neandertais

Até o momento, cientistas acreditavam que os neandertais – indivíduos da extinta espécie Homo neanderthalensis, que pertencem ao mesmo gênero dos homens atuais (Homo sapiens sapiens) – começaram a desaparecer por volta de 30 mil anos atrás, devido a mudanças climáticas ou concorrência com humanos modernos. Agora, pesquisa publicada no periódico Molecular Biology and Evolution sugere que os neandertais que viveram na Europa Ocidental estiveram à beira da extinção muito antes do Homo sapiens.

Os neandertais são nossos parentes fósseis mais próximos. Evidências abundantes sobre seu modo de vida e restos de esqueleto têm sido encontrados em muitos locais da Europa e da Ásia Ocidental. "Até os homens modernos aparecerem, acreditava-se que a Europa tinha sido habitada por uma população relativamente estável de neandertais por centenas de milhares de anos. Mas nossa pesquisa sugere que não foi bem assim”, diz o antropólogo e coautor do estudo Rolf Quam, da Universidade Binghamton, em Nova York, Estados Unidos.

Saiba mais

NEANDERTAL
A Homo neanderthalensis é uma espécie extinta do gênero Homo, o mesmo dos humanos modernos, que viveu na Europa e em partes da Ásia entre 130.000 e 30.000 anos atrás. Os neandertais, que coexistiram com os Homo sapiens, receberam este nome porque a primeira ossada do homem pré-histórico foi encontrada em uma caverna no Vale de Neander, na Alemanha, em 1856. "Tal" significa "vale" em alemão.

O time de pesquisadores, que inclui ainda suecos, dinamarqueses e espanhóis, analisou sequências do DNA de 13 indivíduos da espécie Homo neanderthalensis e chegou a resultados surpreendentes. Os neandertais da Europa ocidental que tinham mais de 50 mil anos e os que procediam da Ásia Ocidental e do Oriente Médio mostraram grande variação genética, o que é próprio de uma espécie que foi abundante por um longo período de tempo. Por outro lado, os neandertais provenientes da Europa Ocidental com menos de 50 mil anos mostraram um nível extremamente baixo de variação genética. Os dados sugerem que os indivíduos desta região passaram por uma crise demográfica que quase varreu a Europa Ocidental de espécies do gênero Homo.

Esta crise demográfica parece coincidir com um período de extremo frio nesta área. Tempos depois, a região foi repovoada por um grupo pequeno de neandertais vindos de uma área vizinha. Os cientistas ainda não sabem, porém, a origem desses indivíduos. "O fato de neandertais da Europa Ocidental terem passado por uma quase extinção e depois se recuperado, mesmo muito antes de entrarem em contato com humanos modernos, é uma completa surpresa pra nós", diz Love Dalén, do Museu Sueco de História Natural.

"Isso indica que os neandertais podem ter sido mais sensíveis a mudanças climáticas dramáticas que surgiram na última Era do Gelo do que se pensava", explica. Assim, "é muito provável que as populações europeias de neandertais já estivissem demograficamente ameaçadas quando os homens modernos entraram em cena", conclui Quam.
 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados