Adeus a Hebe

Memória

Morre Hebe Camargo, madrinha da TV brasileira

Apresentadora sofreu parada cardíaca em sua casa, em São Paulo. Velório ocorre no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo. Enterro será no domingo

  • A apresentadora Hebe Camargo, uma das pioneiras da televisão brasileira, morreu aos 83 anos neste sábado (29), de parada cardíaca, em São Paulo

    Eduardo Knapp/Folhapress

  • A apresentadora Hebe Camargo, uma das pioneiras da televisão brasileira, morreu aos 83 anos neste sábado (29), de parada cardíaca, em São Paulo

    Thays Bittar/Frame

  • Hebe Camargo, apresentadora de TV

    Divulgação

  • Hebe Camargo com seu filho Marcelo

    Paulo Salomão

  • Hebe Camargo entrevistando o astronauta Neil Armstrong, na editora Bloch, três meses depois de sua viagem à Lua em 1969

    Gervasio Baptista

  • Leandro e Leonardo no "Programa Hebe", do SBT em 1986

    SBT/Divulgação

  • Hebe Camargo entrevista Eliana, em 1986

    SBT/Divulgação

  • Xuxa, Geraldo Alckmin, e sua esposa, Hebe Camargo, e Henrique Prata, em leilão beneficente em prol de menores carentes e do Hospital do Câncer de Barretos

    Deco Rodrigues

  • Silvio Santos e Hebe Camargo durante o programa "Teleton 2008", do SBT, em prol da AACD

    Thiago Bernardes

  • Silvio Santos, Hebe Camargo e Celso Portiolli na 13º edição do "Teleton", evento em prol da AACD, exibido pelo SBT em 2010

    SBT/Divulgação

  • Luciano, Marrone, Maria Rita, Hebe Camargo, Zezé Di Camargo e Fábio Jr. no show de gravação do DVD de Hebe Camargo, no Credicard Hall

    Francisco Cepeda

  • Hebe Camargo entrevistando Adriane Galisteu na gravação do do milésimo programa "Hebe", do SBT em 2006

    SBT/Divulgação

  • Hebe camargo sem peruca usando blusa transparente sem sutiã, em seu programa "Hebe", do SBT em 2010

    Lourival Ribeiro/SBT/Divulgação

  • Hebe Camargo e Ronald Golias no programa especial "Romeu e Julieta", do SBT em 2003

    Rogerio Pallatta

  • Hebe Camargo e padre Marcelo Rossi no programa "Hebe", especial de fim de ano, do SBT em 2003

    SBT/Divulgação

  • Marcelo Nóbrega, Hebe Camargo e Carlos Alberto no programa "A Praça é Nossa" especial de aniversário de 29 anos do SBT

    Carol Soares/SBT/Divulgação

  • Hebe Camargo enxuga lágrimas de Roberto Carlos em show

    Agnews/Francisco Cepeda

  • Hebe Camargo no jardim de sua casa em São Paulo

    Lailson Santos

  • Chico Anysio e Hebe Camargo na inauguração de uma casa noturna em São Paulo, em 2009.

    Gustavo Scatena

  • Hebe Camargo comemorando seu aniversário e o retorno ao palco do SBT, após diagnóstico e tratamento de câncer em 2010

    SBT/DIvulgação

  • Hebe Camargo com Celso Portiolli e César Filho, em sua festa de aniversário de 80 anos, comemorado na mansão da empresária Lucília Diniz, no Jardim Europa, São Paulo

    Marcos Rosa

  • Hebe Camargo, Ziraldo, Márcia Martins, sua esposa, e Hildegard Angel durante o jantar de gala organizado por Dona Lily Marinho em homenagem aos 200 anos da chegada da famÌlia real ao Brasil

    Moskow

  • Hebe Camargo e Daniel Boaventura na gravação do programa de estreia de Hebe na Rede TV!

    Roberto Rodrigues

  • Hebe Camargo comemorando o seu aniversário de 82 anos, no trio elétrico de Claudia Leitte

    Thiago Bernardes

  • A apresentadora Hebe Camargo abraça Faustão após receber o Troféu Mario Lago de 2010

    Andre Muzell/AgNews

  • Hebe e Roberto Carlos durante leilão organizado por Ivan Zurita, na Fazenda Santa Cruz

    Edu Lopes

  • Hebe Camargo dá selinho em Jude Law

    Divulgação

  • Hebe Camargo visitando a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima em Portugal, em gratidão pela cura de um câncer raro no abdômen

    Ricardo Santos

  • Hebe deitada durante apresentação do programa Teleton, do SBT em 2010

    Thiago Bernardes

  • Hebe Camargo, apresentadora de TV, careca devido ao tratamento de quimioterapia

    Divulgação

  • Daniela Albuquerque e Amilcare Dallevo comemorando a chegada de Hebe Camargo à emissora RedeTV!

    Silvia Santana

  • Hebe Camargo no programa "Hebe", na RedeTv!

    Wayne Camargo/Divulgação

  • A apresentadora Hebe Camargo homenageada da noite no Prêmio Claudia 2011

    Divulgação

  • Hebe Camargo após a segunda internação para a retirada de um tumor no intestino, saída do Hospital Israelita Albert Einstein

    Francisco Cepeda/AgNews

  • A apresentadora Hebe Camargo participa do lançamento da Campanha do Agasalho 2012 no Palácio dos Bandeirantes, São Paulo

    Renato Silva Cerqueira/AE/Futurapress

Foto 0 / 35

Ampliar Fotos

A apresentadora Hebe Camargo, uma das pioneiras da televisão brasileira, morreu aos 83 anos neste sábado, de parada cardíaca, em sua casa no bairro do Morumbi, em São Paulo. O velório é realizado desde as 19 horas deste sábado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. Durante a primeira hora, apenas a família e amigos íntimos tiveram acesso ao corpo. A entrada de populares foi liberada por volta das 20 horas. Já passaram pela cerimônia diversas estrelas da música e da TV, entre elas Roberto Carlos, um grande amigo da apresentadora. "Hebe vai deixar muita saudade no coração de todos", afirmou o cantor, bastante emocionado. O apresentador e dono do SBT, Silvio Santos, chegou por volta das 21 horas. Também prestam suas homenagens a Hebe autoridades como o governador Geraldo Alckmin e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O enterro ocorre às 10h30 deste domingo.

Uma história que se mistura com a da própria televisão. Assim pode ser definida a trajetória de Hebe Camargo. Ícone da televisão brasileira nas últimas seis décadas, ela se tornou um patrimônio da cultura nacional. Desde que estreou na TV, marcando presença na primeira transmissão televisiva do país, em 1950, o período máximo que passou afastada da TV foi de dois anos, logo após dar à luz seu filho único, Marcello, em 1965. Marcello é filho de seu primeiro marido, Décio Capuano. Nos outros 60 anos, Hebe brilhou e criou um estilo único de apresentar que é copiado até hoje por discípulas como Adriane Galisteu e Luciana Gimenez. 

Leia também:
VEJA São Paulo: Relembre curiosidades sobre Hebe Camargo
A
cervo Digital VEJA: A trajetória da diva da TV brasileira
G
aleria de fotos: Os 'selinhos' mais famosos da apresentadora

Sua carreira, iniciada no rádio como cantora e atriz, se cruzaria com a da televisão desde a chegada dos primeiros equipamentos de transmissão ao país. Convidada, junto com outros artistas, pelo então todo-poderoso Assis Chateaubriand, ela esteve no porto de Santos em 25 de março de 1950 para recepcionar os caixotes com câmeras, antenas e transmissores da futura TV Tupi, onde começou como cantora.

Oito anos depois, na TV Paulista -- a antecessora da Globo em São Paulo -- Hebe daria os primeiros passos como apresentadora, já fazendo história. De 1958 a 1964, ela comandaria o primeiro programa feminino da TV, O Mundo É das Mulheres. Fora das telas por quase dois anos – sua única ausência prolongada –, retornaria em 1967 com o dominical Hebe Camargo, na Record, e entraria definitivamente para o panteão histórico da TV brasileira, consolidando um bordão, "Ai, que gracinha!", e criando um formato copiado até hoje, o das entrevistas informais em um sofá. 

Depois da Record, a apresentadora ficou seis anos na Bandeirantes. E em 1986, foi para o SBT, onde permaneceu até 2010, após ter seu salário reduzido de 1,5 milhão para 500.000 reais por Sílvio Santos. No ano seguinte, foi contratada pela Rede TV!, onde continuava apesar de paralisações na exibição de seu programa devido às complicações de saúde. Nesse meio tempo, se separou do primeiro marido, Décio Capuano, e se casou com Lélio Rvagnani em 1973, com quem esteve até ele morrer, em 2000. 

Madrinha -- Apesar de ter lançado uma fórmula até hoje usada na TV, a das entrevistas informais em cima de um sofá, Hebe não é um modelo que outras apresentadoras tentam seguir à risca. Isso porque, apesar da admiração que sentem por ela, todas sabem que Hebe é inimitável. "Ninguém pode copiá-la, ela é muito autêntica", considera a amiga Adriane Galisteu, apontada pela própria Hebe como sua substituta. A opinião da apresentadora do Muito+, da Band, é compartilhada por pessoas como a colega Astrid Fontenelle e o diretor televisivo Nilton Travesso. E revela o que a língua sem travas e os brilhos das joias já sugeriam: Hebe Camargo foi e será única. 

Como Adriane, Astrid prefere louvar Hebe a copiá-la, mas admite um pendor pelo tom pessoal que a apresentadora imprimia em seu trabalho. "Admiro o trato dela com as pessoas. Televisão é olho no olho, e gente que tem carisma e sabe rir de si mesma faz diferença", diz Astrid. "Diferentemente de muitos na televisão, a Hebe não criou um personagem. Ela era o que a gente via no palco. Ela não se produzia interiormente, só por fora", pensa Travesso, lembrando o visual marcante da apresentadora. O diretor trabalhou com ela ainda nos anos 1960, na TV Record. "O sofá sempre foi uma arma. A Hebe investiu na intimidade e na aproximação das pessoas". Mas a apresentadora não hesitava também quando precisava abrir a sua própria intimidade em prol de uma boa causa. Em 1997, por exemplo, ela teve uma atitude corajosa ao expor, numa reportagem de capa de VEJA, que fizera um aborto na juventude.

Ainda que não tenha criado uma escola de apresentação, Hebe deixa uma lista comprida de afilhadas, que vão de Adriane Galisteu a Ana Maria Braga. São amigas que ela acompanhava pela TV de casa e para as quais, vez por outra, fazia questão de ligar para fazer um elogio ou passar uma bronca. "Às vezes, ela ligava para dizer que não gostou da minha roupa", conta Adriane. Astrid, que recebia ligações idênticas, as define como cuidado de uma amiga. "Uma vez, ela me mandou óculos de leitura de presente, porque me viu na TV lendo uma revista rente à minha cara."

A apresentadora foi tema do livro A Noite da Madrinha, do sociólogo Sergio Miceli, da USP. O autor também não encontra par para Hebe na televisão brasileira. Mas vê uma certa aproximação entre a apresentadora e Luciana Gimenez, da RedeTV!. "Eu não digo que a Luciana imite a Hebe conscientemente, mas é a que mais se aproxima dela, ao simular ignorância. Ela se dirige ao espectador como se ele fosse mais competente que ela", diz. "Aquilo é construído, assim como no caso da Hebe. Eu não acredito que todos os erros que ela comete sejam por ignorância."

Outro ponto em comum entre as duas, acredita Miceli, é o público  –  um público de classe média, não um público sofisticado. É esse o público que Hebe emulava em seu sofá, diz o sociólogo. "A Hebe sabia disso e se saía muito bem. Ela era direta, com um linguajar próprio e não se intimidava com nenhum entrevistado."

Doença - Desde 2010, Hebe lutava contra graves problemas de saúde – passou por cirurgias para retirar a vesícula, um nódulo cancerígeno no peritônio (membrana que reveste os órgãos digestivos) e um tumor no intestino. Hebe foi dignosticada com câncer no peritônio no começo de 2000. Ela havia se queixado de dores abdominais enquanto passava o réveillon em Miami com alguns amigos, e decidiu comparecer ao hospital para alguns exames. Após a descoberta de tumores cancerígenos, passou a se tratar com uma equipe de cinco médicos, entre eles, o gastroenterologista Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo e o oncologista Sérgio Simon.

O ano de 2009 havia sido especial para Hebe. Seu aniversário de 80 anos, completados em 8 de março, foi repleto de comemorações. Uma recepção organizada pela socialite Lucilia Diniz na sua casa no Jardim Europa contou com a presença de 600 convidados, entre eles o então governador José Serra, o cantor espanhol Julio Iglesias e o amigo Roberto Carlos, por quem Hebe tinha verdadeira devoção. Esta, aliás, era dividida também entre as "santinhas" de Hebe, ou Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima, das quais a apresentadora era devota.

(Texto atualizado às 20h30)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados