São Paulo

Prefeitura: vistoria apontou risco em prédio que desabou

Semana passada, fiscalização constatou perigo de ruína da fachada do imóvel sobre a calçada e a rua; obra emergencial de segurança não foi realizada

  • Uma pessoa morreu após parte de um prédio desabar na Liberdade, em São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

  • Prédio desaba na região central de São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

  • Uma pessoa morreu após parte de um prédio desabar na Liberdade, em São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

  • Prédio desaba na região central de São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

  • Prédio desaba na região central de São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

  • Prédio desaba na região central de São Paulo

    Edson Lopes Jr./Folhapress

Foto 0 / 6

Ampliar Fotos

A subprefeitura da Sé informou que uma vistoria realizada na semana passada, no dia 18, havia identificado o risco de ruína da fachada do prédio que desabou matando uma pessoa na Avenida Liberdade, no Centro de São Paulo, nesta quinta-feira.

Segundo nota enviada pelo órgão nesta manhã, “na ocasião foi constatado o perigo de ruína da fachada do imóvel sobre a calçada e a rua”. O responsável pela reforma, segundo a subprefeitura, foi intimado a “promover a segurança do local imediatamente, sob pena de embargo da obra.” No dia 19 de fevereiro foi protocolada no órgão a comunicação de obra emergencial para o mesmo endereço, mas segundo a administração, não chegou a ser realizada. 

A subprefeitura da Sé confirmou que a obra no antigo restaurante para ampliação de um estacionamento vizinho começou sem alvará. O responsável pela a intervenção no número 736 da Avenida Liberdade entrou com processo de alvará de movimentação de terra em novembro de 2012. Transcorridos trinta dias após o pedido, “o interessado deu início aos serviços, por conta e risco próprio, conforme lhe assegura o Código de Obras”, diz a subprefeitura.

A edificação desabou às 18h15 desta quinta-feira, soterrando e mantando um homem de 50 anos que passava pela calçada. As buscas foram encerradas pelos bombeiros às 6h30 desta sexta-feira, sem mais vítimas. A prefeitura afirmou que "tomará as medidas previstas em lei se confirmado o não cumprimento das normas por parte do proprietário". A subprefeitura da Sé não quis informar quem são os responsáveis pela obra. 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados