Justiça

Recomeça julgamento do caso Ceci Cunha

Nesta terça-feira serão ouvidos três réus. Cinco homens são acusados de matar a deputada federal, seu marido e dois parantes em Maceió, em 1998

A deputada federal Ceci Cunha, assassinada em Maceió em 1998

A deputada federal Ceci Cunha, assassinada em Maceió em 1998 (Marco Antonio/AE/VEJA)

O julgamento de cinco acusados de matar a deputada federal Ceci Cunha foi retomado na manhã desta terça-feira. Os réus também são denunciados pela morte do marido e de dois parentes de Ceci em 1998, no caso que ficou conhecido como “Chacina da Gruta”. Nesta terça-feira, serão ouvidos três réus. 

No primeiro dia de júri popular, nesta segunda-feira, prestaram depoimento na 1ª Vara Federal de Alagoas oito testemunhas e dois réus. José Alexandre dos Santos, conhecido como José Piaba, alegou inocência, chorou e disse ter sido torturado por policiais federais para confessar o crime. Além disso, disse que os policiais que o torturaram eram "pessoal do (senador) Renan Calheiros (PMDB-AL)". 

Depoimento - A primeira a depor foi Claudinete Santos Maranhão, mulher de um dos mortos na chacina, Iran Carlos Maranhão. Também foram assassinados o marido de Ceci, Juvenal Cunha, e Ítala Maranhão. No depoimento, Claudinete disse que dois homens entraram na casa onde aconteceu o crime, no bairro Gruta de Lourdes, em Maceió, e atiraram nas vítimas. Ela conseguiu se esconder debaixo da cama.

Além de Santos, também são réus o ex-deputado federal Talvane Luiz Gama de Albuquerque Neto, acusado de ser o mandante do crime, Jadielson Barbosa da Silva, Alécio César Alves Vasco e Mendonça Medeiros Silva. O julgamento deve durar até sexta-feira.

(Com Agência Estado)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados