Mais Lidas

  1. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  2. TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

    Brasil

    TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

  3. Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de denúncia na Câmara

    Brasil

    Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de...

  4. MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

    Brasil

    MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

  5. Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de agredir esposa

    Brasil

    Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de...

  6. Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína Paschoal

    Brasil

    Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína...

  7. Ex-BBB Ana Paula elogia (e envelhece) Patrícia Poeta: 'A senhora arrasa'

    Entretenimento

    Ex-BBB Ana Paula elogia (e envelhece) Patrícia Poeta: 'A senhora...

  8. Temer diz que não será candidato em 2018

    Brasil

    Temer diz que não será candidato em 2018

O manual do PT para instrumentalizar a CPI do Cachoeira

Documento a que VEJA teve acesso aponta os alvos preferenciais do partido: oposicionistas, imprensa e membros do Judiciário que contribuíram ou ainda podem contribuir para que o mensalão seja julgado

- Atualizado em

Gilmar Mendes

Reportagem de VEJA desta semana revela a existência de um documento preparado por petistas para guiar as ações dos companheiros que integram a CPI do Cachoeira. Consta do roteiro uma lista de alvos preferenciais do PT, entre eles Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), e Roberto Gurgel, procurador-geral da República.

O guia de ação produzido pela liderança petista, ao qual VEJA teve acesso, não deixa dúvida sobre as reais intenções do grupo mais umbilicalmente ligado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os alvos são os oposicionistas, a imprensa e membros do Judiciário que, de alguma forma, contribuíram ou ainda podem contribuir para que o mensalão seja julgado e passe, portanto, a existir oficialmente como um dos grandes eventos de corrupção da história brasileira - e, sem dúvida, o maior da República.

O documento foca em especial Gilmar Mendes, que Lula tentou constranger, sem sucesso, em sua cruzada para adiar o julgamento do mensalão, conforme mostrou reportagem de VEJA da semana passada. São dedicados a Mendes quatro tópicos: 'O processo da Celg no STF', 'Satiagraha, Fundos de Pensão, Protógenes', 'Filha de Gilmar Mendes' e 'Viagem a Berlim'. São todas questões já levantadas pelos mensaleiros e seus defensores e que, uma vez esclarecidas, se mostraram fruto apenas do desejo de desqualificar um integrante do STF que os petistas consideram um possível voto contra os réus do mensalão.

Descontentes - Alguns petistas discordaram, à boca pequena, da atuação de Lula. Lembraram que é errado dar como certo o voto de Gilmar Mendes na condenação dos mensaleiros, uma vez que o ministro, por exemplo, foi contrário à inclusão de Luiz Gushiken, ex-ministro de Lula, na lista de réus do mensalão.

Sob anonimato, é mais fácil hoje do que há algumas semanas encontrar petistas fortemente críticos da estratégia de atacar a imprensa e envolver o procurador Roberto Gurgel na CPI do Cachoeira. No documento feito pelos petistas empregados na liderança do partido no Congresso, Gurgel é falsamente acusado de engavetar o caso conhecido como Operação Vegas, em que a Polícia Federal investigou o jogo ilegal no Brasil. O documento do PT dá como fatos as mais absurdas invencionices contra a imprensa, marteladas por blogs sustentados por verbas públicas de instituições dominadas por petistas. A avaliação de deputados e senadores do PT, confirmada por pesquisas de opinião, é que o partido, até agora, é o maior perdedor na CPI do Cachoeira.

Roberto Gurgel

TAGs:
Mensalão
Supremo Tribunal Federal (STF)
CPI do Cachoeira