Rio de Janeiro

'Mendigo deveria virar ração para peixe', diz vereador

José Paulo de Oliveira disse estar arrependido do discurso feito na Câmara Municipal de Piraí. A Polícia indiciou o vereador por apologia ao crime

Vereador José Paulo Carvalho de Oliveira, o Russo (do PT do B), da cidade de Piraí

Vereador José Paulo Carvalho de Oliveira, o Russo (do PT do B), da cidade de Piraí (Reprodução/VEJA)

O vereador José Paulo Carvalho de Oliveira, o Russo (PT do B), colocou a pequena Piraí, cidade de 25.000 habitantes no Sul fluminense, no mapa brasileiro. Não pelos serviços prestados, mas por um discurso preconceituoso contra a população de rua, proferido durante uma sessão do Legislativo. "Mendigo não tem de votar. Mendigo não faz nada na vida. (...) Eu acho que deveria até virar ração para peixe. Por que fica a gente trabalhando igual a um maluco para esses caras? Eu não dou nada para mendigo. Não adianta me pedir que eu não dou. Se quiser, vai trabalhar. Eu preciso trabalhar, eu levanto cedo para trabalhar", declarou o vereador.

A declaração foi dada no dia 8 de outubro, durante uma sessão que comemorava os 25 anos da atual Constituição. Oliveira se pronunciava sobre o direito de voto aos moradores de rua. Como a Câmara estava praticamente vazia, a repercussão só ocorreu quando o vídeo com o discurso foi postado na internet pela própria assessoria do legislativo municipal, no dia 25.

Arrependido, o vereador, eleito pela primeira vez com 322 votos, admitiu ter errado. Oliveira alegou ter sido influenciado por um episódio ocorrido há 17 anos, quando seu irmão mais velho abrigou um morador de rua em seu sítio, em Além Paraíba (MG), e acabou assassinado pelo rapaz. "Errei na colocação das palavras. Não tenho intenção de fazer nada errado. Eu falei, não fiz nada. Minha fala é completamente diferente da minha conduta", afirmou.

Polícia - O delegado da cidade, Marcelo Haddad, titular da 94.ª DP, indiciou Oliveira por apologia ao crime. A ata da sessão e a fita com a gravação das declarações de Oliveira foram solicitadas à Câmara. Ele e o presidente da Casa, Wilden Vieira da Silva (PSD), serão intimados a depor.

O presidente da Câmara admitiu discutir a postura de Oliveira com os demais vereadores, para decidir se cabe aplicar alguma punição. Na internet e nas ruas da cidade, o discurso provocou muitas críticas ao vereador. Por volta das 19 horas desta terça, cerca de 150 pessoas se reuniram em frente à Câmara para protestar contra Oliveira.

Prefeitura - Em nota, a prefeitura de Piraí se manifestou sobre o episódio, afirmando ser "contra qualquer tipo de violência, discriminação ou qualquer atitude ofensiva aos direitos humanos e contra a natureza". A direção nacional do PT do B também criticou o vereador: "Lamentamos as declarações do vereador e rechaçamos as posições contra o direito à vida. A direção nacional do partido já notificou os diretórios municipal e estadual, que já encaminharam o caso para a Comissão de Ética. Aguardamos os esclarecimentos do vereador sobre o episódio para analisar e aplicar as sanções cabíveis", afirma nota divulgada pelo PT do B.

(Com Estadão Conteúdo)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados