Mais Lidas

  1. Alvo da PGR, Dilma ataca Delcídio – mas não explica suspeitas

    Brasil

    Alvo da PGR, Dilma ataca Delcídio – mas não explica suspeitas

  2. Pacote de ‘bondades’ de Dilma deixa bomba fiscal de R$ 10 bilhões

    Economia

    Pacote de ‘bondades’ de Dilma deixa bomba fiscal de R$ 10 bilhões

  3. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  4. A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

    Brasil

    A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

  5. Kátia Abreu 'se despede' e faz juras de lealdade a Dilma

    Brasil

    Kátia Abreu 'se despede' e faz juras de lealdade a Dilma

  6. Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

    Entretenimento

    Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

  7. Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

    Brasil

    Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

  8. Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de fora

    Esporte

    Só a Globo vai transmitir o Brasileirão 2016. Crise deixa a Band de...

Lula sanciona lei torna crime a alienação parental

- Atualizado em

Pais e mães que tentarem colocar o filho contra o ex-parceiro passarão a ser punidos por lei. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou na quinta-feira a Lei da Alienação Parental, publicada na edição desta sexta do Diário Oficial da União. O texto prevê aplicação de multa, acompanhamento psicológico e até mesmo a perda da guarda da criança a pais que estiverem comprovadamente manipulando os filhos.

A lei torna crime o ato de desconstruir a imagem do pai ou da mãe perante o filho, além de dificultar o exercício da autoridade parental, o contato de criança ou adolescente com o genitor; atrapalhar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar; omitir deliberadamente ao genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço.

O presidente vetou os artigos 9 e 10 da lei, que permitiam aos pais firmar acordos extrajudicialmente e a prisão de seis meses a dois anos para o genitor que apresentar relato falso, respectivamente. Fica proibido também fazer falsas denúncias contra o ex-parceiro ou seus familiares para dificultar o contato da criança com eles e mudar de endereço com o filho sem justificativa, apenas para dificultar a convivência entre o ex-parceiro e a criança.

A lei determina que o processo terá tramitação prioritária. Caberá ao juiz determinar a realização de perícia psicológica, se houver denúncia de alienação parental. O perito terá o prazo de 90 dias, prorrogáveis por autorização judicial, para apresentar o laudo. Estarão sujeitos às mesmas penas previstas para os "alienadores" quem apresentar falsa denúncia, cujo teor possa restringir a convivência da criança com o genitor.

No decorrer do processo, será assegurada à criança "garantia mínima" de visitação assistida. A medida será dispensada nos casos em que houver iminente risco de prejuízo à integridade física ou psicológica da criança, atestado por profissional eventualmente designado pelo juiz para acompanhamento das visitas.

TAGs:
Lei
Crime