Cidades

SP: bombeiros buscam desaparecidos após desabamento

Lajes de edifício em São Bernardo do Campo caíram na noite de segunda. Uma criança morreu e seis pessoas foram resgatadas com vida

Explosão destruiu lajes de prédio em São Bernardo do Campo (SP)

Explosão destruiu lajes de prédio em São Bernardo do Campo (SP) (Thales Stadler/Folhapress)

Ao menos 60 homens do Corpo de Bombeiros trabalham nesta terça-feira na busca por desaparecidos no local onde desabou parcialmente um prédio na noite desta segunda, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Os bombeiros fazem, ainda, a remoção dos escombros – ao menos 20 caminhões com entulho já foram retirados. O acidente matou uma criança. De acordo com o Corpo de Bombeiros, outras seis pessoas foram resgatadas e levadas para o hospital. Uma enfermeira de 26 anos, que estava no prédio na hora do desabamento, está desaparecida. A parte interna do edifício de quatorze antares desabou por volta das 19h40.

Infográfico: Entenda os fatores que levam um préduio a ruir

Segundo informações iniciais, não houve fogo no local, mas os bombeiros sentiram cheiro de gás e existe a hipótese de que um vazamento tenha provocado o acidente. O desabamento teria começado com a queda de uma das lajes que, em um efeito dominó, teria provocado a queda das outras, formando um vão imenso no interior do prédio. O impacto provocado pelo colapso das lajes arremessou estilhaços, aparelhos de ar-condicionado e as janelas dos primeiros andares para a rua. Inicialmente, a hipótese era de que teria havido uma explosão. Em declaração para o Jornal da Globo, o síndico do prédio assegurou que o local não passava por reformas.

De acordo com o prefeito Luiz Marinho (PT), também existe a apossibilidade de que uma infiltração tenha comprometido a estrutura da laje superior, provocando o desabamento. Ele afirmou que o alvará do edifício estava em dia e que realmente não havia indícios de reformas, como caçambas e entulhos no entorno. Ainda não é possível dizer se o prédio precisará ser implodido. Marinho garantiu que as construções vizinhas não estão comprometidas e que, por medida de segurança, o fornecimento de energia elétrica foi interrompido na região, inclusive no prédio da prefeitura.

O acidente aconteceu no Edifício Senador, localizado na Avenida Indico, que está interditada para facilitar o trabalho das equipes de resgate. Além de dezenove viaturas do Corpo de Bombeiros, funcionários da Defesa Civil, Eletropaulo e Polícia Militar também estão na região. Com cerca de 40 anos, o prédio tem consultórios médicos, escritórios e uma lanchonete no térreo.

Segundo o tenente-coronel Roberto Rense, oficial que comanda o trabalho dos bombeiros no local, não há previsão de término das buscas. "Não tem hora para terminarmos os trabalhos de buscas; só sairemos daqui depois que cumprirmos nossa missão. Iniciamos com a estimativa de que houvesse pelo menos seis desaparecidos, mas, após conversarmos com o pessoal que estava no bar que fica embaixo do prédio, esse número caiu para três ou quatro", disse o oficial.

Tragédia no Rio - O acidente no ABC paulista acontece menos de duas semanas após o desabamento de três prédios no centro do Rio de Janeiro. Em 25 de janeiro, o Edifício Liberdade ruiu e levou abaixo duas construções vizinhas - um sobrado de quatro andares e o Edifício Colombo, de dez andares. Até agora, os bombeiros confirmaram 17 mortos na tragédia. As autoridades ainda investigam o que causou o desabamento. Especialistas ouvidos pelo site de VEJA apontam três possíveis fatores da tragédia: obras irregulares, falta de manutenção e um terreno frágil.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados