Tsai Ing-wen é eleita presidente de Taiwan, a primeira mulher a chefiar o Executivo

A opositora, que defende a independência da ilha, deve mudar relação com a China

Taiwan elegeu neste sábado a primeira mulher presidente da história da ilha, Tsai Ing-wen, do Partido Progressivo Democrático (PPD), pró-independência. A sigla também conquistou pela primeira vez a maioria no Legislativo. O partido Kuomintang (KMT), ou Partido Nacionalista, que defende a aproximação com a China e está no poder há oito anos, saiu derrotado.

Tsai venceu com os votos dos que temem que a economia de Taiwan esteja sob ameaça da China e que se opõem às exigências de unificação política de Pequim. Ela afirmou que sua vitória demonstra que a democracia está enraizada em Taiwan e que a população deseja um governo “firme ao proteger a soberania desta nação”.

A presidente eleita de Taiwan se comprometeu ainda a “manter o status quo de paz e estabilidade” com a China e advertiu que “os desafios não vão desaparecer em um dia” – a separação entre Taipei e Pequim aconteceu em 1949, após a vitória dos comunistas na guerra civil chinesa. Disse também que ambos os lados têm a responsabilidade de encontrar um meio mutuamente aceitável de interagir, acrescentando que o espaço internacional de Taiwan deve ser respeitado.

Em um comunicado emitido após a vitória de Tsai, o gabinete chinês para assuntos de Taiwan reiterou sua oposição à independência de Taiwan, mas disse que vai trabalhar para manter a paz e a estabilidade entre os dois lados do Estreito de Taiwan.

Com 75,6% dos votos apurados, sábado à noite (horário local), a líder da oposição já somava mais de seis milhões de cédulas, 59,4%, contra 31,5% do governista. No Parlamento, o Partido Democrático Progressista conquistou 48 vagas, e o Partido Nacionalista ficou com 36 assentos. A nova legislatura se reúne no próximo mês, enquanto a posse para o cargo de presidente será em maio.

(Com AFP e Estadão Conteúdo)