Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump diz que proibição do aborto deveria incluir ‘punição para as mulheres’

O candidato republicano afirmou que só é favorável ao aborto em três casos: estupro, incesto ou risco para a vida da mãe

O candidato à indicação republicana Donald Trump disse nessa quarta-feira que, em um cenário hipotético no qual os abortos forem transformados em ilegais nos Estados Unidos, as mulheres deveriam ser punidas por interromper sua gravidez. “Tem que haver alguma forma de punição”, afirmou Trump.

O magnata, que já apoiou o aborto, agora se posiciona a favor da proibição do procedimento, que ele chamou de “um problema muito sério” durante uma entrevista a um jornalista da emissora americana MSNBC. Trump se negou a especificar a forma como as mulheres devem ser punidas caso se submetam a um aborto ilegal.

Leia mais:

Gerente de campanha de Trump é acusado de agredir repórter Lápide com nome de Trump aparece no Central Park, em NY

Sanders vence no Havaí e reduz vantagem de Hillary

Trump se descreveu como “pró-vida com três exceções”. Ele já disse diversas vezes que é a favor de exceções em casos de estupro, incesto ou risco para a vida da mãe. Anteriormente, em uma entrevista em 1999, Trump exibia uma opinião bastante diferente. Ele se posicionava “pró-escolha em todos os aspectos”, embora tenha afirmado que não gostava do conceito do aborto.

Após a divulgação do comentário, o magnata foi muito criticado nas redes sociais, com usuárias do Twitter pedindo que nenhuma mulher vote nele. A declaração do pré-candidato republicano também foi citada por Hillary Clinton. “Apenas quando você pensa que não poderia piorar. Horrível e revelador”, escreveu a democrata no Twitter.

(Da redação)