Rebeldes líbios se preparam para uma batalha em Zauiya

Cidade a 50 quilômetros de Trípoli passou a ser controlada pela oposição

Centenas de forças contrárias ao governo da Líbia se preparam neste domingo para repelir uma esperada ofensiva das forças leais a Muamar Kadafi que cercou Zauiya, 50 quilômetros a oeste de Trípoli. A oposição líbia tomou o controle da cidade, de 200.000 habitantes, com tanques e armas antiaéreas montadas em caminhões. A região, porém, está rodeada por tropas leais a Kadafi, e há o receio de um ataque próximo, informou neste domingo a rede de televisão Al Jazira.

Existem pelo menos seis postos de controle dominados pelas tropas leais a Kadafi na estrada que vai de Trípoli a Zauiya, cada um com pelo menos um tanque e soldados com seus rostos escondidos em capuzes. “Esperamos um ataque a qualquer momento”, disse à emissora uma pessoa identificada apenas como Ezeldina, moradora de Zauiya, agora a cidade mais próxima a Trípoli controlada por forças da oposição.

Zauiya é uma importante cidade perto de refinarias e de um porto petrolífero e o centro populacional mais próximo de Trípoli a cair nas mãos da oposição. Centenas de pessoas no centro da cidade gritavam “Kadafi fora” e “Líbia livre”, em meio a carcaças de carros e bloqueios nas ruas.

Rebeldes da cidade e membros das Forças Armadas que desertaram para se juntar a eles consolidaram o controle da cidade no dia 24 de fevereiro, depois que a unidade do Exército que permanecia leal a Kadafi abriu fogo contra uma mesquita onde moradores realizavam um protesto. Médicos relataram as mortes de pelo menos dez pessoas. O controle de Trípoli ainda está nas mãos de líbios leais a Kadafi e a cidade estaria tranquila neste domingo.

Kadafi iniciou a mais sangrenta ação do mundo islâmico contra uma onda de protestos contra o governo. Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) adotaram sanções contra a Líbia no fim de semana. Além disso, o presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou que chegou o momento de Kadafi sair.

Apoio – O líder do Zimbábue, Robert Mugabe, enviou tropas mercenárias à Líbia em apoio a Kadafi, informa neste domingo o diário The Sunday Times. Na terça-feira passada, segundo o periódico, centenas de soldados zimbabuanos, bem como pilotos da força aérea, voaram de Harare à Líbia para se unirem às forças de Kadafi.

Segundo fontes dos serviços de Inteligência zimbabuanos, algumas das tropas eram da Quinta Brigada, treinada na Coreia do Norte e famosa por ter abafado violentamente uma rebelião em Matabeleland no início dos anos 80, operação que custou a vida de 20.000 pessoas. Os zimbabuanos se somaram a outros mercenários da Costa do Marfim, Chade e Maurício que combatem o levante na Líbia.

Segundo o dominical britânico, a força mercenária zimbabuana, que inclui membros de um comando especial, foi enviada graças a um acordo secreto entre Kadafi, Mugabe e o general Constantine Chiwenga, chefe das Forças Armadas do Zimbábue.

O governo britânico acredita que Kadafi poderia tentar fugir para o Zimbábue caso o levante líbio fosse bem-sucedido, indica o jornal. “Mugabe e ele (Kadafi) estão muito próximos. O Zimbábue é um país aonde poderia optar por ir”, disse uma fonte governamental ao periódico.

(Com agências Estado e EFE)