Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preocupados com NSA, alemães cancelam contrato com operadora americana

Verizon, fornecedora de serviços de internet, será substituída por firma local

O governo alemão anunciou nesta quinta-feira que vai cancelar um contrato com a operadora Verizon, uma das maiores companhias telefônicas dos Estados Unidos, por temores em relação a segurança de dados. O escândalo sobre o alcance da espionagem americana teve início antes mesmo que o mundo soubesse que o responsável pelo vazamento de informações secretas era o ex-analista de inteligência Edward Snowden. A primeira notícia sobre o monitoramento de dados telefônicos pela Agência de Segurança Nacional americana (NSA) envolvia exatamente a Verizon. Com o desdobramento do caso, mais detalhes sobre a bisbilhotice promovida pelo governo dos EUA foram sendo revelados e atingiram a chanceler alemã Angela Merkel, que teve o celular grampeado. A decisão de cancelar o contrato demonstra que a confiança não foi restaurada e as empresas ainda sofrem as consequências.

A Verizon prestava serviços para o governo desde 2010, e o contrato estava previsto para expirar em 2015. O valor em jogo não foi divulgado. Atualmente, a empresa americana fornece serviços de internet para três redes administrativas de dados governamentais da Alemanha. Segundo o Ministério do Interior alemão, todos os serviços serão repassados para a Deutsche Telekom até 2015. “A relação entre empresas americanas e a NSA e outros serviços estrangeiros de inteligência tem demonstrado a necessidade de tornar mais severas as exigências com relação à segurança em pontos críticos da infraestrutura de comunicações”, afirmou o ministério, em comunicado.

Leia também:

Agências europeias trabalharam em conjunto para espionar

Na Copa, Biden e Dilma trocam figurinhas sobre espionagem

Vigilância das mídias sociais é legal, diz governo britânico

As primeiras informações vazadas sobre a espionagem nos EUA, há um ano, afirmavam que a empresa repassava dados telefônicos de milhões de clientes americanos à NSA. Em resposta à decisão do governo Merkel, o diretor da subsidiária alemã da Verizon, Detlef Eppig, afirmou que a empresa segue as regras locais. “Deixamos claro que o governo americano não pode acessar informações de usuários armazenadas fora dos Estados Unidos”, disse, em comunicado. “A Verizon Alemanha é uma empresa alemã e nós seguimos a lei alemã”.

(Com agência Reuters)