Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por que o Partido Comunista Chinês matou um prêmio Nobel da Paz?

Governo chinês negou até mesmo o último desejo de Liu Xiaobo antes de morrer

Depois de passar sete anos na prisão, o intelectual dissidente chinês Liu Xiaobo morreu na manhã desta quinta-feira ,13, em um hospital de uma cidade isolada de Shenyang. Alguns dias antes, o governo havia lhe negado o último desejo: receber tratamento fora do país. Prêmio Nobel da Paz em 2010, Liu era considerado inimigo da China. Como na época em que recebeu a distinção já estava preso, foi representado por uma cadeira vazia na Noruega

Prisoneiro desde 2009,  Liu era um estorvo para a burocracia chinesa. Ele vocalizava oposição às contradições dentro do próprio sistema como a falta de coerência entre o discurso oficial e a sede pelo poder e dinheiro da nova geração chinesa. No seu livro único livro lançado no Brasil (“Não tenho inimigos, desconheço o ódio”, da L&PM), ele conta a que a maioria dos alunos que querem entrar para o Partido “não se deixam levar por crenças idealistas, mas são conduzidos por objetivos pessoais”. Independente de qualquer ideologia, explica, são os comunistas que detêm o poder e a melhor coisa a fazer, “se alcançar o sucesso o mais rápido possível for a meta, é filiar-se ao Partido”. 

A condenação de Liu foi motivada por ser um dos líderes o movimento que lançou em 2008 a Carta 08, uma petição pública que cobrava do o fim da censura, respeito às leis e democracia — atitude inspirada nos autores da Carta 77, de dissidentes na União Soviética

O intelectual, também professor de literatura, não tinha um discurso agressivo contra o estado. Acreditava que a reforma democrática só teria chance se viesse pela modificação das consciências dos jovens. Sobretudo pela pela “força de uma sociedade civil que exige liberdade e democracia”, escreveu.

Nos muitos artigos que escreveu, pregou espaços mais amplos entre o estado e a consciência individual, que estavam corroendo as bases totalitárias do regime. “A sociedade chinesa move-se paulatinamente na direção da livre escolha do local de moradia, da livre mobilidade e da livre escolha do trabalho”, escreveu em um artigo de 2006. 

O caminho da liberdade, contudo, não se confirmou. A resposta foi totalitária: foi preso, isolado e não pôde mais escrever.  Segundo o New York Times, foi o primeiro Nobel da Paz a morrer sob custódia desde o pacifista alemão e inimigo do regime nazista Carl von Ossietzky, em 1938.

Quando foi condenado, o chinês alertou que a mentalidade de escolher inimigos envenenaria o espírito da nação, destruindo sua tolerância e humanidade.

“É um acontecimento triste. É perturbador que os representantes do mundo livre, que têm a democracia e os direitos humanos em alta estima, titubeiem na hora de defender esses direitos”, disse o comitê que outorga o Prêmio Nobel na Noruega.

Liu estava certo: só um regime já sem humanidade manteria preso um homem com um câncer terminal diante dos apelos da comunidade internacional. 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Simples! Porque comunista não vale nada. São todos iguais. Assim como os terroristas, essa é uma raça que deveria ser extinta.

    Curtir

  2. Gostaria de saber se a redação não contrata mais revisores de texto. Um erro ou outro, vai lá. Mas a quantidade de erros desse, pega mal para Veja.

    Curtir

  3. Alex Sandro Silva

    Mais uma semelhança do comunismo com o nazismo: filie-se ao partido e terá tudo o que precisar; não se filie, então não terá facilidades e, ainda, será perseguido.

    Curtir

  4. E a ONU só critica países democráticos, alguns, e somente sobre alguns assuntos específicos, com clara preferência por questionar Israel. Países pobres também entram nessa lista. Potências como a China podem continuar fazendo o que quiserem.

    Curtir

  5. Inácio Nóbrega

    COMUNISMO=LIXO.

    Curtir

  6. FERNANDO LUIZ DOLCI

    Era este tipo de “democracia” que o PT queria implantar no Brasil. Felizmente estancado.

    Curtir