Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia prende em Boston 129 manifestantes ‘anti-Wall Street’

A polícia prendeu 129 manifestantes na madrugada desta terça-feira em uma praça de Boston e dispersou um protesto inspirado no movimento “Ocuppy Wall Street” (Ocupar Wall Street), informou a polícia.

O porta-voz do Departamento de Polícia de Boston, Eddy Chrispin, disse que a maioria foi detida acusada de reunião ilegal quando a polícia chegou ao local em que a multidão se encontrava na madrugada desta terça-feira.

“Todos os que foram detidos optaram por ser detidos”, afirmou Chrispin por telefone à AFP, depois que os manifestantes se negaram a obedecer um pedido da polícia de se dispersar pacificamente.

Em seu site, o movimento “Occupy Boston” (Ocupar Boston) disse que centenas de policiais com equipamentos antidistúrbios atacaram brutalmente os manifestantes.

Mas as fotografias no mesmo site mostraram a polícia de uniforme regular, sem capacetes ou equipamentos de proteção adicional, rodeando os manifestantes e os prendendo com algemas de plástico.

O jornal Boston Globe informou que durante a operação os manifestantes gritavam: “O povo unido jamais será vencido”, “Este é um protesto pacífico” e “O mundo inteiro está vendo”.

O jornal indicou, citando fontes policiais, que um policial foi atingido no rosto, mas que não houve manifestantes ou oficiais feridos.

Chrispin disse que inicialmente foi permitido aos manifestantes ocupar a Dewey Square, uma praça aberta no centro de Boston, mas que depois eles “cresceram substancialmente em número e tomaram” espaços verdes adjacentes e outras ruas da cidade.

O prefeito de Boston, Thomas Menino, defendeu a atuação policial dizendo ao Boston Globe: “Entendo que têm liberdade de opinar e de se expressar, mas nós temos uma cidade para administrar… a desobediência civil não será tolerada”.

“Estou de acordo com eles sobre os temas”, acrescentou Menino. “Execução de hipotecas. Avareza corporativa. Estes são temas nos quais estive trabalhando durante toda a minha carreira. Mas não se pode amarrar uma cidade”, disse o prefeito.

A maioria dos detidos foram libertados sob fiança à espera de um comparecimento no tribunal mais tarde nesta terça-feira, disse Chrispin.

Desde que o primeiro grupo de ativistas acampou nos arredores de Nova York, as demonstrações foram crescendo até chegar a várias cidades americanas, onde protestam pela avareza das corporações de Wall Street, acusadas de dominar a política americana.

Mas mais de três semanas depois de começar com suas 24 horas diárias de protestos, os manifestantes não apresentaram nenhum objetivo concreto.

Em seu site http://occupywallst.org/states, os militantes afirmam que “a única coisa que temos em comum consiste que somos 99% que não tolerarão mais a avareza e a corrupção do 1%”.