Parlamento da Venezuela já não tem mais a foto de Chávez

Os novos deputados tomam posse nesta terça-feira. O dia no país é de manifestações contra e a favor do governo nas ruas, troca de acusações e com risco de violência

Poucas horas antes da posse dos novos deputados, a sala principal da Assembleia Nacional da Venezuela estava limpa, sem quaisquer alegorias chavistas que antes “decoravam” o Parlamento. Em uma foto divulgada no Twitter do deputado opositor eleito Miguel Pizarro, além do ambiente limpo, republicano, é possível notar a ausência mais ilustre: o enorme quadro do caudilho Hugo Chávez que assombrava a Assembleia Nacional foi retirado do púlpito.

A nova Assembleia Nacional da Venezuela toma posse nesta terça-feira, agora dominada por opositores do governo de Nicolás Maduro. Em vez de um cerimonial calmo, o dia no país é de manifestações contra e a favor do governo nas ruas, troca de acusações de ataques à democracia e com risco de violência. Pela primeira vez em 17 anos, os rivais da autointitulada “revolução bolivariana” controlarão a Assembleia Nacional. Os novos congressistas opositores prometem usar seu poder para fazer grandes mudanças, enquanto a situação liderada por Maduro pretende manter a firmeza e impedir qualquer retrocesso na “revolução” iniciada por Hugo Chávez.

Leia também

Oposição venezuelana diz que militares garantirão posse do novo Parlamento

Funcionários denunciam desmonte da emissora de TV do Parlamento venezuelano

Opositor Ramos Allup é eleito presidente do Parlamento venezuelano

Na semana passada, o Tribunal Supremo suspendeu a posse de três legisladores da oposição, em resposta a um pedido de partidários dos socialistas, que acusaram a oposição de manipular as eleições legislativas de 6 de dezembro. A decisão poderia eliminar a maioria de dois terços da oposição, necessária para tomar decisões importantes, como a destituição de altos funcionários ou realizar uma reforma constitucional.

O novo presidente do Congresso, Henry Ramos Allup, reiterou na segunda-feira a promessa de tomar o juramento de todos os legisladores e disse que Maduro deveria avaliar a possibilidade de renunciar para salvar a Venezuela de uma crise política. Ramos Allup é um político experiente, que começou a carreira antes da era de Chávez. A Venezuela é muito dependente do petróleo, que está em queda livre nos mercados internacionais. O país sofre com a inflação de três dígitos e a recessão econômica mais profunda do mundo.

(Da redação)